fernando-collor1Fernando Collor

14/07/2015 — A Polícia Federal e o Ministério Público Federal cumpriram mandados de busca e apreensão em imóveis pertencentes ao senador Fernando Collor de Mello, situados em Brasília, Maceió, Rio de Janeiro e São Paulo. Foram apreendidos computadores, documentos e três veículos de luxo, entre os quais uma Ferrari e uma Lamborghini. Os mandados foram autorizados pelo Supremo Tribunal Federal. A ação foi decorrência dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Empreiteiros disseram na justiça que o ex-presidente da república recebeu diretamente deles dinheiro para facilitar contratos na BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras. O diretor da empresa era um afilhado político do Collor.

collor-lula1No mesmo dia, o senador subiu à tribuna do senado para reclamar da “perseguição” a ele imposta pelo procurador geral da república, Rodrigo Janot. Disse que a ação fere a constituição, pois ele sequer teria sido ouvido sobre o caso. Na verdade, nessa fase, não há necessidade do contraditório, pois o Ministério Público ainda não formalizou denúncia. A busca e a apreensão, devidamente autorizadas pela justiça, objetivam resguardar as provas que eventualmente forem carreadas para os autos na hora da formalização do processo judicial. Assim, embora haja indícios de culpabilidade do Collor, ele ainda não está formalmente acusado. Somente a partir daí, se for o caso, é que o senador terá direito a constituir advogado para se defender das acusações que pesarem sobre ele.

collor1Fernando Affonso Collor de Mello nasceu no dia 12 de agosto de 1949, na cidade do Rio de Janeiro. Começou a carreira política como prefeito nomeado de Maceió, Alagoas, no período de 1979 a 1982. Sempre foi fiel ao regime militar, pois seu pai, senador Arnon de Mello, pertencia à Aliança Renovadora Nacional. Eleito deputado federal pelo estado em 1982, ficou na Câmara dos Deputados até 1997, quando assumiu o governo do Alagoas.

Em 1990, candidatou-se a presidente da República pelo pequeno Partido da Renovação Nacional. Eleito, governou apenas dois anos: foi processado por corrupção e cassado pelo Congresso Nacional em 1992. Depois de “ficar de molho” por algum tempo, voltou à cena política ao ser eleito senador para o período 2007-2014. Atualmente, pertencente ao Partido Trabalhista Brasileiro, é um fos fiéis aliados do PT no Senado Federal.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados