Roberto Engler + Gastos
2018 doacoes1

19/10/2018 — De acordo com  a última prestação de constas, feita à Justiça Eleitoral, o deputado estadual Roberto Engler, reeleito para mais um mandato, gastou na campanha R$ 736,9 mil (número arredondado). Como recebeu 69.969 votos, o gasto médio para conseguir cada voto foi de R$ 10,53. Os números do TSE indicam que o candidato, para se eleger, gastou do próprio bolso a quantia de R$ 552,7 mil, representando 75% do total gasto e 17,59% do total de bens declarados (R$ 3,1 milhões). Os outros maiores doadores foram o diretório do PSB/SP (R$ 100 mil), o cidadão Newton Ferraro Júnior (R$ 50 mil) e os candidatos a deputado federal Arnaldo Jardim (PPS), com R$ 13,1 mil, e o Dr. Ubiali (PSB), com R$ 6,4 mil. Entre as despesas, as maiores realizadas pelo Engler foram com o pagamento de cabos eleitorais, na base de R$ 300,6 mil. Em 2018, o deputado recebeu de salários na Assembleia Legislativa cerca de R$ 312 mil, representando 42,34% do total gasto na campanha.

Engler & Projetos
02/09/2018 — O deputado estadual Roberto Engler, candidato à reeleição, apresentou oito projetos de lei na Assembleia Legislativa até o mês de agosto. São cinco propostas de denominação para próprios estaduais, duas de declaração de utilidade pública e uma de classificação da cidade de Dumont como município de interesse turístico. Para Franca, cujos interesses, supostamente, ele defende no Poder Legislativo Estadual, são duas propostas. A primeira, de fevereiro, declara de utilidade pública a Casa de Apoio Dom Pedro Luiz. Se aprovado, o projeto dará condições à entidade de receber recursos do Governo Estadual. A segunda proposta, de abril, dá o nome do ex-prefeito Maurício Sandoval Ribeiro à ponte sobre o Rio Sapucaí, na Rodovia Cândido Portinari. De acordo com os dados do Portal da Transparência, o Roberto Engler recebeu cerca de R$ 210 mil em salários e mais de R$ 109,5 mil de despesas reembolsáveis.

Roberto Engler & Fortuna
declaracao de bens

21/08/2018 — Os bens declarados à Justiça Eleitoral pelo deputado estadual Roberto Engler cresceram 40,34% em 2018, na comparação com as eleições de 2014. Naquele ano, o candidato declarou R$ 2.238.355,80. Agora, o valor subiu para R$ 3.141.347,60. Os dados estão no portal do Superior Tribunal Eleitoral. Entre os maiores bens declarados estão vários itens de “terra nua”, mas o que chama a atenção é o montante em dinheiro: dois milhões de reais. O Engler também colocou como limite para gastos de campanha o valor de um milhão de reais. Ele é o segundo mais rico de todos os candidatos de Franca. Perde apenas para o Marco Aurélio Ubiali, candidato a deputado federal, cujos bens somam de R$ 3.217.873,37. Em 2018, em seu trabalho na Assembleia Legislativa, apresentou apenas oito projetos de lei.

Esses projetos tratam, especificamente de proposições denominativas de próprios estaduais. A última proposta apresentada, em 10 de agosto, dispõe sobre denominação do dispositivo de acesso com duplo viaduto, localizado no quilômetro 369+200 metros da Rodovia Cândido Portinari, no município de Batatais. O parlamentar quer que o dispositivo passe a se chamar “Zezinho Brasil e Dona Ritinha”. Nas comissões técnicas do Poder Legislativo, o deputado exerce o cargo de suplente da Comissão de Fiscalização e Controle. O portal da Assembleia Legistiva na internet informa também que o Engler recebeu, em 2018, até agosto, cerca de R$ 212 mil em salários. Outros R$ 109.674,11 foram também para a conta bancária dele na modalidade de “despesas reembolsáveis” de viagens, combustível, alimentação, aluguel de escritório, contas de luz e de telefone, etc.

20170407Engler + Ressarcimentos
2017 250.618,33
2016 253.383,26
2015 251.073,75
2014 271.380,80
2013 267.610,73
2012 257.300,30
2011 243.592,88
2010 246.210,00
2009 211.797,60
2008 222.104,88

Roberto Engler
ROBERTO CARVALHO ENGLER PINTO nasceu no dia 09 de agosto de 1943, na cidade de São Paulo. Embora paulistano, construiu toda a sua carreira política na cidade de Franca, para onde se mudou na década de 1960. Foi, primeiramente, funcionário do Banco do Brasil. Depois, obteve a licenciatura em física na Universidade de São Paulo, passando a dar aulas de matemática e física em escolas estaduais. Com o mestrado e o doutorado, criou as condições para lecionar na USP de São Carlos e na Unesp de Franca. Iniciou a carreira política em 1982, quando se elegeu vereador. Em 1988 e em 1992, candidatou-se a prefeito, mas não logrou êxito. Obteve o primeiro mandato de deputado estadual em 1994, reelegendo-se sucessivamente em 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014. Em 2017, apresentou 18 projetos à assembleia, a maioria deles versando sobre nomes de próprios públicos. Em 2018, ano de eleição, em oito meses, são oito projetos da mesma natureza.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados