Argonautas
Os Argonautas foram os heróis que, a bordo do navio Argo, sob o comando Jasão, saíram de Iolco e empreenderam viagem à Cólquida. Tinham por objetivo apoderar-se do Tosão de Ouro, que possibilitaria a Jasão assumir o trono de sua cidade, usurpado por seu tio Pélias. Eles eram, aproximadamente, 50, destacando-se entre eles Jasão, Admeto, Anfião, Tideu, Teseu, Heracles (Hércules para os romanos), Orfeu, Castor e Pólux. Depois de aportarem nas ilhas de Lemnos e de Samotrácia, chegaram ao Helesponto.

Ancoraram, então, no país dos doliones, governado pelo rei Cizico4, que os acolheu com toda a hospitalidade. Ao partirem, foram atingidos, à noite, por grande tempestade, que os jogou novamente no território de Cizico. Os nativos não os reconheceram e, tomando-os, por piratas, se empenharam em os combater. Nessa luta, o rei foi morto por Jasão. Quando o dia amanheceu, os dois grupos notaram o erro e se lamentaram. Jasão fez magníficos funerais a Cizico. A escala seguinte foi Mizia, onde Heracles e Polifemo5 foram deixados por seus companheiros.

Polifemo fundou a cidade de Cio e Heracles continuou suas proezas sozinho. Prosseguindo em seu curso, a expedição chegou ao país dos bebrícios, onde Pólux enfrentou e venceu o rei Âmico6. Na Trácia, com a ajuda dos boréadas Calais e Zetes, livraram o adivinho Fineu das Hárpias, que o atormentavam. Em reconhecimento, Fineu os ensinou a evitar os perigos da viagem. Assim, puderam passar ilesos entre as Rochas Flutuantes, que despedaçavam os navios. Finalmente, chegaram à Cólquida. Auxiliados por Medeia, filha do rei Eetes, apoderaram-se do Tosão de Ouro.

Iniciaram, sem seguida, a viagem de volta, levando a Medeia. Passaram pelo reino de Circe, que os purificou. Resistiram aos encantos das Sereias, navegaram entre Caribde e Cila e atingiram o país dos feácios. Depois de sofrerem tempestades, chegaram a Egina, com a ajuda de Apolo, deus da luz. De lá, alcançaram Iolco. Tendo entregue a Pélias o Tosão de Ouro, Jasão conduziu a nave até Corinto, onde a ofereceu a Poseidon (Netuno para os romanos), deus dos mares. Para certos mitógrafos, essa viagem representa a façanha da colonização do Ponto Euxino e da Ásia Menor. Para outros, simboliza a descoberta de ouro no Cáucaso (a antiga Cólquida). As aventuras dos Argonautas foi diversas vezes adaptadas para o cinema.



 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados