Imprimir
Categoria: Astrônomos
Acessos: 2429

f-bessel1Frederico Bessel

FRIEDRICH WILHELM BESSEL nasceu no dia 22 de julho de 1784, na cidade de Minden, Minden-Ravensberg, Alemanha. Morreu no dia 17 de março de 1846, na cidade de Könisgberg (então território da Prússia), atual Kaliningrado, Rússia.

Foi o segundo filho de um funcionário público. Com a idade de 14 anos começou na atividade de aprendiz de importação e exportação em Bremen. A dependência da empresa de navios de carga o levou a usar as suas habilidades matemáticas para resolver os problemas de navegação. Isso por sua vez o conduziu a um interesse em astronomia, como uma maneira de determinar a longitude. Chamou a atenção de uma figura importante da astronomia alemã na época — Heinrich Wilhelm Olbers — através da produção de um refinamento nos cálculos orbitais para o Cometa Halley em 1804.

f-bessel2Dois anos mais tarde, tornou-se assistente de Johann Hieronymus Schröter. Em 1810, foi nomeado diretor do Observatório de Königsberg. Em seguida, ocupou as cátedras de astronomia e matemática da universidade desta cidade. Contestava as ideias de James Bradley. Graças ao novo círculo meridiano de Georg Reichenbach, observou, entre 1824 e 1833, mais de 55 mil estrelas, as quais reconheceu cuidadosamente, além de cerca de 20 mil localizadas até a magnitude 9. Foi o primeiro a medir de forma precisa a distância da Terra de uma estrela fixa — a 61 Cygni. Seu resultado (11 anos-luz) foi posteriormente confirmado através de instrumentos mais aperfeiçoados.

Suas “Pesquisas Astronômicas” reúnem todos esses cálculos e outros que realizou sobre planetas e satélites. Descobriu também as irregularidades do movimento das estrelas Sirius e Procion. Provou que elas são duplas e que se movimentam acompanhadas de componentes invisíveis, os quais perturbam os componentes das partes visíveis. Na matemática, criou as “Funções de Bessel” ou “funções circulares”, que se aplicam ao cálculo das irregularidades das órbitas dos corpos celestes. Apesar de não ter formação universitária, foi considerado um dos maiores astrônomos do século XIX. Em 1832, foi eleito membro honorário da Academia Americana de Artes e Ciências. Em 1841, ganhou o maior prêmio atribuído a um astrônomo: a medalha de ouro da Real Sociedade de Astronomia do Reino Unido.