20200813aGeorge Stokes

GEORGE GABRIEL STOKES nasceu no dia 13 de agosto de 1819, na cidade de Skreen, Contado de Sligo, atual República da Irlanda. Morreu no dia 1.º de fevereiro de 1903, na cidade de Cambridge, Inglaterra. Depois de terminar o colégio, ingressou em 1837 na Universidade de Cambridge, à qual ficou ligado até a morte. Nela, ocupou a cátedra de Matemática. Entre 1887 e 1892, foi membro do Conselho Universitário. Trabalhou também como secretário (1854-1885) e presidente (1885-1890) da Real Sociedade. Formando a “equipe de Cambridge”, investigou diversos ramos da Física, notadamente o da teoria das ondas.

Em princípio, dedicou-se ao estudo das ondas estacionárias dos fluidos incompressíveis, do movimento dos fluidos e da elasticidade dos corpos sólidos. Investigou também a queda dos corpos esféricos em um fluido, especialmente a queda livre das gotas de água no ar. Explicou, assim, a suspensão das nuvens. Trouxe grandes contribuições à teoria do som e o meio em que é produzido. Por volta de 1845, voltou-se para o estudo da óptica, contribuindo para a teoria ondulatória da luz. Investigou a aberração da luz e, em seguida, a teoria de determinas faixas do espectro. Em 1849, ao estudar a teoria dinâmica da refração, confirmou a teoria do Augustín Fresnel, segundo a qual o plano de polarização deveria ser perpendicular ao da vibração.

Três anos depois, estudou as mudanças da refrangibilidade da luz, o que o conduziria à investigação do fenômeno da fluorescência. Demonstrou, assim, que um corpo fluorescente torna a luz incidente menos refrangível. Essa descoberta é conhecida como a “lei do Stokes”. Seguiram-se outros estudos sobre a composição e a decomposição de fluxos de luz polarizados, sobre a reflexão metálica expostas por algumas substâncias não metálicas e sobre a refração dupla. Estabeleceu que os raios X são de natureza idêntica à da luz. Realizou, ainda, importantes estudos sobre o calor, a gravidade e, no domínio da matemática, sobre as séries periódicas, classe de integrais definidas, séries infinitas, equação diferencial, etc. Os volumosos cadernos de estudo dele foram publicados em cinco tomos entre 1880 e 1905. 


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados