Imprimir
Categoria: Matemáticos
Acessos: 2214

john-nash1John e o Trânsito

24/05/2015 — O matemático John Nash, vencedor do Prêmio Nobel, morreu num acidente de trânsito em Nova Jersey, Estados Unidos, ao lado da sua mulher Alicia. Ele tinha 86 anos e a esposa, 82. Segundo a polícia rodoviária, eles viajavam num táxi. Ao fazer uma ultrapassagem, o motorista perdeu o controle da direção e bateu numa grade de proteção. Nash e Alicia foram jogados para fora do veículo. Aparentemente, eles não estavam usando cinto de segurança. O motorista do táxi sofreu apenas ferimentos leves. Professor de matemática Universidade de Princeton, o matemático ganhou o Prêmio Nobel de Economia de 1994 pelo trabalho no campo da Teoria dos Jogos.

john-nash2John Nash

JOHN FORBES NASH JR. nasceu no dia 13 de junho de 1928, na cidade de Bluefield, Nova Jersey, Estados Unidos. Foi um dos maiores matemáticos do século XX, famoso pela originalidade das teorias e pela facilidade com que encarava desafios matemáticos que seus companheiros de profissão jamais tiveram a coragem de enfrentar. Quando fez o pedido de matrícula para a cadeira de matemática na Universidade de Princeton, uma carta de referência o descreveu com uma única sentença: “Este homem é um gênio”. Os seus feitos inspiraram uma geração de matemáticos, físicos e cientistas.

O campo estudado por ele, que tenta abordar os conflitos humanos através da lógica matemática, foi criado no final da década de 1940 pelo húngaro John Von Neumann. Este propôs que os conceitos como “bem” e “mal” fossem deixados de lado no estudo dos conflitos de interesse. A premissa básica do seu pensamento é de que a cada decisão, os “jogadores” tentarão maximizar o ganho individual. Aos 21 anos, numa tese de mestrado de apenas 27 páginas, Nash propôs o que viria a ser conhecido como o Teorema do Equilíbio de Nash, que descreve situações em que nenhum dos jogadores pode melhorar seu ganho, alterando, de forma unilateral, sua estratégia. Há cientistas que afirmam que o americano resolveu problemas matemáticos ainda mais desafiadores do que aquele contido no trabalho que lhe rendeu o Prêmio Nobel.

uma-mente-brilhante1Ele solucionou, por exemplo, uma questão de geometria diferencial — derivada de um trabalho do matemático Bernhard Riemann (1826-1866) — que parecia impossível de ser decifrado. O matemático sofria de esquizofrenia e tornou-se um porta-voz dos pacientes dessa doença quando seu filho, John, foi diagnosticado com o mesmo mal. Foi hospitalizado diversas vezes por causa da doença, recebendo inclusive tratamento a base de eletrochoques. Para ele, mais que o recebimento do Nobel, foi a realização do filme “Uma Mente Brilhante”, que o apresentou para o mundo. Ele passou de um sujeito que vagava anonimamente pelo campus da universidade, para se tornar uma celebridade mundial. Isso o ajudou financeiramente. A produção, de 2001, ganhou quatro Oscars: filme, direção, roteiro adaptado e atriz coadjuvante (para Jennifer Conelly, que interpretou Alicia).