Inflação

ipca15 042128/04/2021 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, a prévia da inflação oficial, ficou em 0,60% nos primeiros quinze dias abril. O IPCA-15, segundo o IBGE, desacelerou ao situar-se 0,33% abaixo da taxa registrada em março (0,93%). No ano, o índice acumula alta de 2,82%. Nos doze meses terminados em abril, a taxa marca 6,17%, acima dos 5,52% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em abril de 2020, o índice ficou negativo em -0,01%. Os dados do IBGE apontam que, com alta de 1,76%, os transportes continuam sendo a principal influência no índice (0,36%).

Mas o grupo desacelerou em relação ao resultado de março, cuja variação registrou 3,79%. A gasolina (5,49%) permanece como o produto com principal impacto no índice (0,30%), ainda que com uma variação menor do que o mês anterior (11,18%). O óleo diesel (2,54%) e o etanol (1,46%) tiveram altas, mas também inferiores às registradas em março (10,6% e 16,3%, respectivamente). Os alimentos tiveram variação de 0,36%. A alimentação no domicílio passou de queda de 0,03% em março para 0,19% em abril. E o café da manhã ficou mais caro com a alta do pão francês (1,73%) e do leite longa vida (1,75%). As carnes seguem em alta (0,61%), embora com variação menor do que a de março (1,72%).

Em Março
09/04/2021 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de março registrou 0,93%, 0,07% acima da taxa de fevereiro (0,86%). Esse é o maior resultado para um mês de março desde 2015, quando registrou-se inflação de 1,32%. No ano, o IPCA acumula alta de 2,05% e, nos últimos doze meses, de 6,10%, acima dos 5,20% observados nos doze meses imediatamente anteriores. Em março de 2020, a variação havia sido de 0,07%. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, seis tiveram alta em março. O grupo “transportes” teve a maior variação (3,81%), após alta de 2,28% em fevereiro. Por isso, teve também o maior impacto (0,77%) no IPCA do mês três.

O destaque das altas no grupo foi dos combustíveis, cujos preços subiram 11,2%. A gasolina foi a vilã do grupo, com alta de 11,2%, seguida dos pneus, com alta de 3,27%. Voltando aos grupos, no segundo lugar ficou o “habitação”, com alta de 0,81% e impacto de 0,12% no índice. O grupo “alimentação e bebidas” subiu 0,13%, com contribuição de 0,03% no índice. Nesse grupo, o destaque ficou com as carnes, com alta geral de 0,85%. Houve recuo de -14,1% nos preços do tomate e de -8,81% nos preços da batata inglesa. Ainda em termos de grupos, no lado das quedas o destaque ficou com a “educação”, que registrou -0,52% após a alta de 2,48% observada no mês anterior. Os demais grupos ficaram entre a queda de -0,07% na “comunicação” e a alta de 0,69% nos “artigos de residência”.

IPCA 2021  2,05%
IPCA janeiro  0,25%
IPCA fevereiro  0,86%
IPCA março  0,93%
IPCA 12 meses  6,10%


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados