Imprimir
Categoria: Vulcabras
Acessos: 14001

Energia eólica

06/09/2021 — A calçadista Vulcabras, dona das marcas Olympikus, Under Armour e Mizuno, anunciou que usará apenas energia eólica ( 100% de energia limpa) em suas unidades fabris a partir de 2022. Localizadas nas cidades de Itapetinga (BA) e em Horizonte (CE), as fábricas serão supridas por um dos maiores complexos de energia eólica do mundo, o Rio do Vento no Rio Grande do Norte. O complexo tem capacidade instalada total de 1.038 megawatts. O contrato entre a Vulcabras e a Casa dos Ventos foi fechado por R$ 150 milhões. A empresa de energia proverá a totalidade do consumo da empresa pelo período mínimo de treze anos. O uso de energia limpa evitará o lançamento de 15 mil toneladas de gás carbônico (CO2) anualmente na atmosfera, o equivalente ao plantio de 67 mil árvores.

Vulcabras
& lucro líquido

13/08/2021 — A Vulcabras, uma das maiores calçadistas do país, reportou ao mercado lucro líquido de R$ 91,5 milhões no segundo trimestre de 2021. Reverteu, assim, o prejuízo líquido de R$ 75,3 milhões observado no mesmo período de 2020. O bom resultado é explicado principalmente pela base de comparação mais fraca, visto que a empresa de calçados foi fortemente afetada pela primeira onda da Covid-19 no país. Excluindo os efeitos não recorrentes, o lucro do período foi de R$ 30,9 milhões. Entre abril e junho, a receita líquida da empresa saltou mais de 304%. Impulsionada pelo segmento de calçados esportivos, essa receita chegou a R$ 399,4 milhões. A Vulcabras é dona das marcas Azaleia (sandálias) e dos tênis Olympikus, Under Armour e Mizuno.

Lucro líquido 2021
R$ 106,1 milhões

pedro bartelle1Vulcabras
VULCABRAS foi fundada em 1952, na cidade de Jundiaí, São Paulo. Constitui-se na maior companhia do país no setor de calçados esportivos, femininos e confecções esportivas, contando, entre outras, com as marcas Azaléia, AZ, Dijean, Funny, Opanka, OLK, Olympikus, Reebok e Botas Vulcabras. Após o fechamento de seis fábricas na Bahia, de interromper as fabricações em sua filial no Rio Grande do Sul e de demitir 8,9 mil funcionários por causa de problemas financeiros, possui, atualmente, cinco fábricas: três no Brasil, uma na Argentina e uma na Índia. As unidades brasileiras estão no Ceará, no Sergipe e na Bahia. De acordo com os números da Bovespa, em 2020 o lucro líquido da companhia registrou R$ 31,5 milhões.