Desemprego

01/06/2021 — A taxa de desemprego no Brasil subiu para 14,7% no primeiro trimestre de 2021, alta de 0,8% na comparação com o último trimestre de 2020 (13,9%). Isso corresponde a mais de 880 mil pessoas desocupadas, totalizando 14,8 milhões na fila do emprego. É a maior taxa e o maior contingente de desocupados de todos os trimestres da série histórica iniciada em 2012. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgada pelo IBGE. Dos ramos pesquisados, o único aumento na ocupação ocorreu entre os trabalhadores por conta própria (23,8 milhões). Esse segmento cresceu 2,4%, um acréscimo de 565 mil postos de trabalho. A taxa de emprego informal marcou 39,6% entre janeiro em março. A pesquisa mostra também que o rendimento médio real dos trabalhadores no período registrou R$ 2.544,00.

Riquezas (?)

01/06/2021 — O Produto Interno Bruto do Brasil cresceu 1,2% no primeiro trimestre de 2021 na comparação com o quarto trimestre de 2020 na série com ajuste sazonal. Frente ao mesmo trimestre de 2020, o PIB apresentou crescimento de 1,0%. No acumulado nos quatro trimestres terminados em março de 2021, o indicador das riquezas nacionais caiu -3,8% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Em valores correntes, o PIB no primeiro trimestre de 2021 totalizou R$ 2,048 trilhões, sendo R$ 1,753 trilhão referente ao valor adicionado a preços básicos e R$ 294,7 bilhões aos referentes aos impostos sobre produtos líquidos de subsídios. Houve taxas positivas na agropecuária (5,7%), na indústria (0,7%) e nos serviços (0,4%). Entre janeiro e março deste ano, a taxa de investimento marcou 19,4% do PIB, acima da observada no mesmo período de 2020 (15,9%).

Safra

17/02/2021 — Em janeiro, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas estimada para 2021 é de mais um recorde, somando 262,2 milhões de toneladas, com alta de 3,2% (8,1 milhões de toneladas) em relação a 2020 (254,1 milhões de toneladas) e de 1,7 milhão de toneladas (0,7%) frente ao prognóstico anterior. O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE  aponta que a área a ser colhida é de 66,8 milhões de hectares, com alta de 2,1% frente à área colhida em 2020 (mais 1,4 milhão de hectares) e de 149 mil hectares (0,2%) frente ao mês anterior. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste, que, somados, representam 93,4% da estimativa da produção e respondem por 87,8% da área a ser colhida. O maior produtor de arroz no Brasil é o Rio Grande do Sul. O milho e a soja predominam no Mato Grosso.

Casamentos
10/12/2020 — O número de registros de casamentos no Brasil teve uma redução de 2,7% entre 2018 e 2019. De 1.053.467 caiu para 1.024.676. Esse movimento de queda vem sendo observado anualmente desde 2016. Do total de matrimônios registrados, 9.056 ocorreram entre pessoas do mesmo sexo. O número deste tipo de união teve um recuo de 4,9 % de 2018 para 2019 após crescer 61,7% entre 2017 e 2018. Por outro lado, os registros de divórcios também tiveram queda (-0,5%), passando de 385.246 em 2018 para 383.286 em 2019. De acordo com a pesquisa publicada pelo IBGE, os casamentos estão durando menos do que há dez anos. Em 2009, o tempo médio entre a data do casamento e a data do divórcio era de 17,5 anos. Em 2019 essa média caiu para 13,8 anos. Os números refletem o movimento dos cartórios de registros de todo o país.

População
28/08/2020 — O IBGE divulgou a estimativa da população residente nos 5.570 municípios brasileiros, com data de referência em 1.º de julho de 2020. Nessa data, a população do Brasil chegou a 211,8 milhões de habitantes. Houve crescimento de 0,77% em relação a 2019. O município de São Paulo continua sendo o mais populoso, com 12,3 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,750 milhões), Brasília (3,05 milhões) e Salvador (2,88 milhões). Os 17 municípios do país com população superior a um milhão de habitantes concentram 21,9% da população nacional. Catorze deles são capitais estaduais. A estimativa populacional para Franca chegou a 355.901 habitantes, crescimento de 0,77% em relação a 2019 (353.187). Esses números do IBGE vão embasar grande parte das transferências de recursos para os municípios em 2021.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados