paulo-francis1Paulo Francis

FRANZ PAUL TRANNIN DA MATTA HEILBORN nasceu no dia 2 de setembro de 1930, na cidade do Rio de Janeiro. Morreu no dia 4 de fevereiro de 1997, na cidade de Nova York.

Começou a carreira no teatro nos anos de 1950. Ator, diretor e crítico, rompeu com a mesmice então vigente no meio teatral. No fim dos anos de 1960, foi preso pelo regime militar. O fato fundamental de sua trajetória, porém, foi a mudança para os Estados Unidos em 1971. A partir daí passaria a exercer a profissão de jornalista, com artigos nos principais jornais do Brasil e participações nos programas jornalísticos da Rede Globo e do canal a cabo GNT.

Formou com outros jornalistas pátrios a bancada do programa Manhattan Connection, através do qual desancava os políticos, os economistas, os esportistas — enfim, ninguém escapava de sua língua afiada. Em 2009, o cineasta Nelson Hoineff lançou o documentário Caro Francis, em que apresenta o jornalista como um sujeito generoso, algo tímido e sempre gentil com os amigos. O filme traz depoimentos até de gente que esteve na sua mira. O documentário debruça-se também sobre o embate final do jornalista. Em 1996, declarou que a diretoria da Petrobrás formava uma quadrilha que tinha contas na Suíça.

Foi processado. Esse fato teria sido decisivo para o enfarte que o vitimou no ano seguinte. Para muitos, o jornalista extrapolou as condições de sua profissão. Convertera-se num personagem da cultura brasileira: ou se era a favor ou contra as suas opiniões. Deixou treze livros publicados, entre os quais os romances Cabeça de Papel (1977), Cabeça de Negro (1979) e Carne Viva (publicado postumamente em 2008). Em setembro de 2008, a revista VIP o colocou no trigésimo nono lugar (entre 100) na aferição de importância dos nomes da televisão brasileira em todos os tempos: “Paulo Francis foi um dos mais geniais e controversos intelectuais do Brasil. Mas não é esse o Francis da TV. Para quem via o Jornal da Globo nos anos 80, ele era o tiozão rabugento que usava óculos engraçados e falava de um jeito mais engraçado ainda. Era preciso prestar muita atenção para perceber que ele fazia os comentários mais inteligentes já ouvidos na TV.


 

Donos da Notícia

UP TOGGLE DOWN

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados