20200827aChurchill

29/11/2020 — Já está nas livrarias a obra “O Esplêndido e o Vil” do jornalista americano Erick Larson. O texto narra os bastidores da luta do primeiro-ministro britânico Winston Churchill para unir o seu país no momento mais difícil da Segunda Guerra Mundial. Quando assumiu o cargo, o Adolfo Hitler já tinha invadido a Bélgica e a Holanda, além da Polônia e da Tchecoslováquia. Nos doze meses seguintes, a Alemanha fez uma série de bombardeios no território inglês com saldo de 45 mil mortos. O medo e o terror tomaram conta dos britânicos. Entrou aí a capacidade de liderança do Churchill, que se tornou o principal aliado dos Estados Unidos no combate ao expansionismo alemão. O livro da Editora Intrínseca tem 624 páginas e preço sugerido de R$ 59,90.

caminhando com o destino1Destino
23/08/2020 — A vida de um dos maiores estadistas do Século 20 poderá ser melhor conhecida agora. Está chegando às livrarias a obra “Churchill: Caminhando Com o Destino”. Escrita pelo historiador Andrew Roberts, a biografia tem 1,2 mil páginas e preço sugerido de R$ 129,90. O livro é uma edição da Companhia das Letras. Muita coisa inédita há no texto. O historiador consultou documentos inéditos do próprio biografado. Além disso, a família real britânica permitiu o acesso a documentos do George VI, com registros das reuniões semanais que o rei mantinha com o primeiro-ministro. Churchill governou o Reino Unido entre 1941 e 1945, período em que liderou a Europa contra os nazistas na Segunda Guerra Mundial. Além de político, o primeiro-ministro era escritor.

20200827bWinston Churchill
WINSTON LEONARD SPECER-CHURCHILL nasceu no dia 30 de novembro de 1874, na cidade de Woodstock, Condado de Oxford, Inglaterra. Morreu no dia 24 de janeiro de 1965, aos 90 anos, na cidade de Londres. No colégio, segundo os registros, mostrou-se um aluno medíocre e indisciplinado. As coisas mudaram em 1893 ao escolher a carreira militar, formando-se oficial em 1895. Nessa época já mostrava talento para a escrita. Assim, o primeiro trabalho foi a cobertura como repórter da insurreição cubana contra a Espanha. De volta ao seu país, reincorporou-se ao exército.

Como oficial, participou da campanha militar na Índia em 1896. No Sudão em 1898 conciliou a atividade de oficial da 21.ª Divisão de Lanceiros com a de correspondente do jornal Morning Post. Logo depois, na África do Sul, caiu prisioneiro das forças locais. Depois de uma fuga espetacular, conseguiu atingir as linhas britânicas, colocando-se a salvo. Na volta para a Inglaterra em 1900, candidatou-se para a Câmara dos Comuns, elegendo-se pela primeira vez. A carreira política foi meteórica. Em 1906, conseguiu o cargo de subsecretário de estado das colônias. Em 1908, tornou-se presidente Conselho do Comércio. Em 1911, assumiu o posto de comandante supremo da Marinha Britânica.

Em 1915, retornou aos afazeres da Câmara dos Comuns. Mas, logo em seguida, foi nomeado ministro das munições, cargo que supervisionava a produção de tanques e armas para a Primeira Guerra Mundial. Mais tarde, acumulou os cargos de ministro da guerra e ministro da aeronáutica. Esse trabalho não trouxe a ele dividendos políticos. Candidato, perdeu duas vezes a eleição para a Câmara dos Comuns. Passou, assim, a se dedicar à literatura, com o lançamento do livro “A Crise Mundial”. Voltou à seara política somente 1924 com uma nova eleição para deputado federal. Em seguida, emplacou-se como ministro das finanças. Não teve sucesso em conter a deflação monetária. Saiu do governo em 1929 e voltou às lides literárias. Voltou em 1939 como ministro da marinha.

Em 1940, assumiu o cargo de primeiro-ministro. Ficou célebre o discurso em que ofereceu à nação “sangue e trabalho, suor e lágrimas”. Após a invasão da França pelas forças do Adolf Hitler, passou a comandar sozinho a resistência ao nazismo na Europa. No final da guerra, após a vitória dos países aliados, participou de todas as tratativas para a criação de organismos multilaterais. Das sugestões dele, criaram-se a Organização do Tratado do Atlântico Norte e o Conselho da Europa. Mesmo assim, não conseguiu conservar o cargo de primeiro-ministro. Voltou ao cargo apenas em 1951. Em 1953, recebeu da Rainha Elizabeth II o título de Cavaleiro da Ordem da Jarreteira. No mesmo ano, obteve o Prêmio Nobel de Literatura. Retirou-se definitivamente da política em 1955. Em seguida, publicou a “História da Segunda Guerra Mundial” e a “História dos Povos de Língua Inglesa”.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados