Indústria
automobilistica2

12/03/2020 — Em janeiro de 2020, a produção industrial avançou 0,9% frente a dezembro de 2019 (série com ajuste sazonal), interrompendo dois meses de taxas negativas consecutivas, que acumularam recuo de 2,4%. Em relação a janeiro de 2019 (série sem ajuste sazonal), o setor caiu 0,9%, após também assinalar perdas em novembro (-1,7%) e dezembro (-1,2%) de 2019. No acumulado em doze meses, a atividade industrial recuou 1,0%. No resultado de janeiro, segundo o IBGE, houve alta na produção em três das quatro grandes categorias econômicas. Entre as atividades, as influências positivas mais importantes aconteceram nos setores de máquinas e equipamentos (11,5%), metalurgia (6,1%), veículos automotores (4,0%), produtos alimentícios (1,6%) e produtos derivados do petróleo (2,3%).

Em Dezembro
05/02/2020 — Em dezembro de 2019, a produção industrial brasileira recuou 0,7% frente ao mês anterior (série com ajuste sazonal). Essa é a segunda taxa negativa seguida. Ela acumulou nesse período recuo de 2,4%. Em relação a dezembro de 2018 (série sem ajuste sazonal), a indústria caiu 1,2%, após também assinalar perda no mês anterior (-1,8%). Com esses resultados, o setor industrial recuou tanto no fechamento do quarto trimestre de 2019 (-0,6%), como no acumulado do segundo semestre do ano (-0,9%), contra iguais períodos do ano anterior. No acumulado do ano, a atividade industrial recuou 1,1% frente a igual período de 2018, interrompendo, dessa forma, dois anos consecutivos de crescimento: 2017 (2,5%) e 2018 (1,0%).

Na passagem de novembro para dezembro de 2019, três das quatro grandes categorias econômicas e 17 dos 26 ramos pesquisados mostraram redução na produção. Entre as atividades, as influências negativas mais importantes foram registradas nos setores de “veículos automotores” (-4,7%) e “máquinas e equipamentos” (-7,0%). Também esteve mal a produção de calçados, com queda de 6,6%. Do lado positivo, vale destacar o desempenho do setor de “confecção de artigos de vestuário”, com crescimento de 5,3%. O setor dos “derivados de petróleo e bio-combustíveis” cresceu 4,2% no período mencionado. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal, publicada pelo IBGE. Os dados referentes a janeiro serão publicados no início de março.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados