Imprimir
Categoria: Emprego Brasil
Acessos: 6700

CAGED

22/08/2020 — O Brasil abriu 131.010 vagas formais de trabalho em julho, interrompendo quatro meses de dados negativos. O desempenho teve a ajuda dos bons números advindos da indústria e da construção civil, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados pelo Governo Federal. O resultado também ficou acima da abertura de postos em julho do ano passado (43.820). Entre os setores inscritos no CAGED, a indústria ficou na dianteira em julho, com saldo positivo de 53.590 postos criados, puxados fundamentalmente pela indústria da transformação. Em seguida, aparecem os setores da construção civil (+41.986), comércio (+28.383) e agricultura (+23.027). No acumulado dos sete meses de 2020, porém, o saldo do emprego formal no Brasil apresenta-se negativo, com o fechamento de 1.092.578 em todos os setores.

carteira2Em junho
28/07/2020 — O Brasil perdeu 1.198.363 de postos de trabalho com carteira assinada no primeiro semestre deste ano. Esse é o pior resultado para o período desde o início da série histórica, iniciada em 2010. De acordo com os dados divulgados pelo Governo Federal, no mesmo período do ano passado foram criadas 408.500 vagas. O mercado de trabalho afetou-se fortemente pela pandemia da Covid-19. O alastramento da doença provocou o fechamento de diversas atividades econômicas no país. O resultado do primeiro semestre é o saldo do confronto entre as 6.718.276 contratações e as 7.916.639 demissões registradas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

Segundo o CAGED, apenas no mês de junho fecharam-se 10.984 vagas com carteira, no pior resultado para o mês desde 2016 (-91.032 vagas). O número é, também, pior que o registrado em junho de 2019 (+48.436), mas representa desaceleração no ritmo de perda de vagas em relação aos meses anteriores, também afetados pela pandemia. O total de pessoas com carteira assinada em junho somou 37.611.260, o que representa uma variação de -0,03% em relação ao mês anterior. Entre as atividades, a construção civil, com mais 17.270 vagas formais, e a agropecuária, com mais 36.836, foram as únicas com resultado positivo em junho. O pior desempenho ficou com o setor de serviços, com o fechamento de 44.891 postos de trabalho. Também no vermelho, o comércio fechou 16.646 vagas e a indústria, 3.545.