Varejo
livros2

15/06/2019 — Em abril de 2019, o volume de vendas do varejo recuou 0,6% frente a março. A média móvel trimestral variou -0,2%, eliminando o aumento registrado em março (0,2%), segundo a pesquisa mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. De acordo com o IBGE, em relação a março de 2018, o comércio varejista cresceu 1,7%. O acumulado no primeiro quadrimestre marca 0,6%. O acumulado nos últimos doze meses manteve-se estável em 1,4%. Os dados demonstram que cinco das oito atividades pesquisadas mostraram taxas negativas em abril. Um dos destaques é o setor de “vestuário e calçados”, o líder nas quedas, com menos 5,5%. Entre as atividades que cresceram, o destaque ficou com o setor de livros, jornais e revistas, cujas vendas cresceram 4,3%. No comércio varejista ampliado, houve um pequeno crescimento (0,2%) nas vendas de veículos.

Empregos

15/06/2019 — Na área do emprego formal, o início de 2019 não foi bom para o comércio varejista. Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados da Secretaria Nacional do Trabalho, o setor contratou 1.043.333 trabalhadores e demitiu 1.133.921, registrando-se, então, o fechamento de 90.588 postos de trabalho. De acordo com os dados do CAGED, o país entrou em 2019 com 7.429.788 de trabalhadores com carteira assinada nos 2.347.452 de estabelecimentos de comércio varejista registrados. Do saldo negativo dos primeiros cinco meses do ano, o Estado de São Paulo contribuiu com 26.726 dispensas, representando 29,5% do total do país. A cidade de São Paulo fechou 7.743 vagas e Ribeirão Preto cortou 719. Franca, por seu lado, registra saldo positivo de trinta e cinco vagas no quinquimestre.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados