Varejo
calcados3

07/08/2019 — O IBGE publicou a pesquisa sobre o movimento do comércio varejista no mês de junho de 2019. Os dados demonstram que o volume de vendas ficou praticamente estável, com variação de 0,1% frente ao mês de maio. A média móvel trimestral (-0,1%) mostrou o mesmo comportamento, próximo à estabilidade, no trimestre encerrado em junho. Em relação a junho de 2018, houve recuou de -0,3%. Além do menor ritmo das vendas, houve a influência negativa do calendário nessa comparação pois, em 2019, o mês de junho teve dois dias úteis de menos em relação a 2018. O acumulado no ano avançou 0,6%. Nos últimos doze meses, o acumulado de 1,1% sinaliza perda de ritmo das vendas. Entre os setores pesquisados, o destaque vai para o de “tecidos, vestuário e calçados”, com crescimento de 1,5%.

Emprego
Refletindo o movimento das vendas, o comércio varejista brasileiro também anda mal das pernas no que concerne à criação de emprego com carteira assinada. Em junho, no último levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, está consignado o fechamento de 3.664 vagas. É o saldo do confronto das 247.510 admissões com as 251.174 demissões registradas no mês. Nos primeiros cinco meses de 2019, o varejo acumula 104.827 vagas perdidas. Na comparação com o mesmo período do ano passado (-111.094 vagas), como se vê, houve menos perdas. Para o resultado negativo deste ano, São Paulo contribuiu com 27,4% ou 28.732 vagas fechadas. Em Franca, no período mencionado, foram criadas apenas onze vagas.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados