Medicamentos

farmaceutica1

05/07/2021 — A produção industrial brasileira cresceu 1,4% em maio na comparação com abril. Interrompeu três meses consecutivos de queda, segundo os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Já em relação a maio de 2020, o crescimento marcou 24%, a nona taxa positiva consecutiva nesta base de comparação. O desempenho do quinto mês de 2021, porém, ficou pouco abaixo da média das estimativas de trinta instituições financeiras, as quais esperavam alta de 1,6% na produção. As projeções partiam de queda de -1% a expansão de 3,3%. No ano, a indústria acumula alta de 13,1% e, em doze meses, de 4,9%. O indicador acumulado em doze meses registrou a segunda taxa positiva após sequência de 22 negativas.

O relatório do IBGE informa que o resultado de maio — mais de quatro vezes superior ao de abril — demonstra que houve avanço no ritmo de crescimento do setor industrial. Além disso, essa foi a primeira vez, desde outubro de 2018, que todas as categorias econômicas registraram taxas positivas para o indicador acumulado em doze meses. O desempenho positivo de maio aconteceu em 15 das 16 atividades industriais pesquisadas. Os principais impactos positivos entre as atividades vieram do setor de “produtos farmacêuticos” com crescimento de 8,0%. Depois, vieram os “artigos de vestuário e acessórios” (6,2%), “produtos metalúrgicos” (3,2%) e “petróleo e biocombustíveis” (3,0%). Entre as atividades que registraram queda, o resultado negativo mais relevante veio dos “produtos têxteis”, cuja produção diminuiu 6,1%.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados