Magazine Luíza

23/05/2020 — O Magazine Luiza registrou no primeiro trimestre de 2020 lucro líquido de R$ 30,8 milhões, queda de 76,7% em relação aos R$ 132,1 milhões registrados no mesmo período de 2019. O desempenho nos três primeiros meses do ano considera um ajuste não recorrente de R$ 38,8 milhões, relacionado a créditos tributários, provisão para riscos tributários e outros itens. Desconsiderando esses pontos, a empresa registrou prejuízo de R$ 8 milhões, revertendo lucro do ano passado. Esse resultado se deu em decorrência do fechamento temporário das lojas físicas, da consolidação da compra da Netshoes e dos investimentos adicionais em melhoria do serviço.

Esses pontos ajudaram a aumentar a despesa operacional ajustada em 39,1%, chegando a R$ 1,1 bilhão. Houve ainda no período um avanço de 2,4 vezes das provisões para perdas em crédito de liquidação duvidosa (R$ 30 milhões). A receita líquida da companhia cresceu 21% no período, atingindo R$ 5,2 bilhões. A receita bruta avançou 22,1%, subindo para R$ 6,5 bilhões. A empresa atribuiu o desempenho ao acelerado crescimento das vendas pela internet, incluindo a Netshoes, e o desempenho das lojas físicas antes do fechamento por causa da pandemia do novo coronavírus. Estima-se que, por causa disso, as lojas físicas deixaram de vender cerca de R$ 500 milhões, o que impactou sobremaneira o resultado das receitas brutas.

A receita com prestação de serviços aumentou 38%, com o crescimento de 184,8% nas vendas do marketplace (shopping virtual). O lucro, descontados os juros, os impostos, a depreciação do patrimônio e a amortização de dívidas (Ebitda) recuou 16%, caindo para R$ 332,6 milhões. Em termos ajustados, esse lucro caiu 29% (R$ 247 milhões). De acordo com o relatório encaminhado à Bolsa de Valores de São Paulo, o elevado crescimento das vendas pela internet, incluindo o marketplace, contribuiu novamente para o Ebitda. Entretanto, a perda das vendas das lojas físicas e o aumento das despesas em relação à receita líquida influenciaram a margem ajustada, a qual passou de 8,9% no primeiro trimestre de 2019 para 5,2% no primeiro trimestre de 2020. Mesmo com o desempenho inferior, o Magazine Luíza ultrapassou os R$ 100 bilhões em valor de mercado.

Em 2019
21/02/2020 — O lucro líquido do Magazine Luíza registrou R$ 921,8 milhões. O relatório contábil encaminhado à Bolsa de Valores de São Paulo informa que o valor é 54,3% maior em relação a lucro líquido de 2018. Especificamente no quarto trimestre do ano passado, porém, houve um recuo de 11,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Entre outubro e dezembro, o lucro líquido ficou em R$ 168 milhões. O desempenho operacional da varejista teve o impacto direto do aumento das vendas online, chegando a 48% do total. No sgeral, as vendas da companhia em 2019 chegaram aos R$ 8,990 bilhões. O ano passado também foi marcado por uma série de aquisições, com destaque para as plataformas de vendas online da Netshoes e Estante Virtual.

estante virtual1Estante
21/12/2019 — O grupo varejista Magazine Luiza recebeu aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica para comprar a Estante Virtual, um marketplace de livros novos e usados. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União. A aquisição da plataforma se fará no âmbito do processo de recuperação judicial do Grupo Cultura. Essa investida representa mais uma oportunidade de expansão dos negócios do Magazine Luiza no comércio varejista eletrônico, e uma boa oportunidade de capitalização para a Estante Virtual, de acordo com o relatório do CADE. O valor da operação não foi revelado.

3.º Trimestre
29/10/2019 — A varejista Magazine Luiza teve crescimento do lucro no terceiro trimestre de 2019 apoiado na forte expansão das vendas, principalmente as de comércio eletrônico. A empresa anunciou que o lucro ajustado do período somou R$ 136,3 milhões, alta de 12,7% sobre o mesmo período de 2018. Em termos líquidos, o lucro somou R$ 235,1 milhões, salto de 96,7% na mesma base de comparação, dado influenciado por maiores receitas financeiras e pelo benefício dos juros sobre capital próprio. O resultado operacional do Magazine Luiza somou R$ 300,7 milhões entre julho e setembro, aumento de sete por cento na comparação anual. O destaque do período foram as vendas feitas  pela internet. Essas vendas deram um salto de 300%, chegando a 48% do total. A receita líquida no trimestre em referência chegou a R$ 4,860 bilhões, crescimento de 32,5%.

frederico trajano 20171209Juros
05/10/2019 — O Conselho de Administração do Magazine Luíza aprovou esta o pagamento de R$ 122 milhões de juros sobre o capital próprio aos seus acionistas. O montante equivale a R$ 0,0736066061 por ação. Ou seja, quem tiver, por exemplo, um lote de dez mil ações receberá R$ 736,06. A companhia informou que o valor poderá variar para cima ou para baixo até a data efetiva do pagamento, previsto para o dia sete de novembro, dependendo da quantidade de ações na tesouraria. O Magazine Luíza tem 554,2 milhões de ações ordinárias em circulação. Desse total, 57,5% pertencem à Ltd. Administração e Participações, a controladora da empresa. Os acionistas esparsos são 35,6%. Pessoalmente, a Luíza Helena Trajano detém 1,33%, somando 7,370 milhões de ações.

No Pará
19/09/2019 — A varejista Magazine Luiza abriu as suas primeiras lojas no Estado do Pará. No total, a companhia pretende abrir dezenove lojas  em catorze cidades diferentes até outubro. O plano é que, até o fim deste ano, outros vinte e um pontos de venda sejam instalados, totalizando quarenta lojas naquele estado. De acordo com o comunicado ao mercado, o grupo vai investir R$ 50 milhões no Pará até dezembro para abrir as novas  unidades espalhadas por trinta e quatro cidades. Também serão instalados novos centros de distribuição, nas cidades de Marituba e Benevides. O Magazine Luíza fechou o primeiro semestre de 2019 com um lucro líquido de R$ 518,7 milhões. Neste ano, as ações da companhia na Bolsa de Valores de São Paulo tiveram valorização de 55,76%.

Ações
03/08/2019 — O Magazine Luiza aprovou em Assembleia Geral Extraordinária o desdobramento de suas ações na proporção de um para oito, sem modificação do capital social. Após o desdobramento, esse capital social permanecerá no montante de R$ 1.770.911.472,00, dividido em 1.524.731.712 de ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal. De acordo com o comunicado feito ao mercado, o desdobramento das ações será efetivado, preservando-se todos os direitos dos acionistas. Os papéis da companhia fecharam a semana econômica nesta sexta-feira (2) no patamar de R$ 283,55 a unidade. A rentabilidade mensal está em 7,52% e a anual em 57,47%. A companhia está prestes a divulgar o balanço do segundo trimestre.

Magalu
17/06/2019 — O Magazine Luiza concluiu a compra da companhia de comércio eletrônico Netshoes pelo equivalente a 3,70 dólares por ação, avaliando a empresa em cerca de 115 milhões de dólares. A oferta foi aprovada por 90,3% dos acionistas da companhia americana, informou a varejista francana. Na quinta-feira passada, a rede de artigos esportivos Centauro, chegou a apresentar nova oferta pela Netshoes, mas desistiu da ação em vista da pressão do Magazine Luíza. De acordo com os dados, a empresa americana tem 6,8 milhões de clientes ativos. A aquisição representa um passo significativo na estratégia de crescimento no e-commerce Magalu. Por causa dessa aquisição, as ações do Magazine Luíza estão em alta. No ano, o crescimento é de 17,7%.


 

 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados