daltontrevisan in123 de maio de 2012
linha-gif

O escritor brasileiro Dalton Trevisan, de 86 anos, foi anunciado esta semana, em Lisboa, vencedor da 24.ª edição do Prêmio Camões. Criado por Portugal e Brasil em 1989, a honraria é a maior da língua portuguesa e concedida ao escritor cuja obra contribua para sua projeção e reconhecimento. O júri — formado por dois representantes do Brasil, dois de Portugal, um de Moçambique e um de Angola — se reuniu na manhã da segunda-feira (21/05/2012) para escolher o ganhador da edição 2012 do prêmio. De acordo com o jurado brasileiro Silviano Santiago, o autor foi premiado pela sua “dedicação ao fazer literário”.

A escolha de Dalton Trevisan foi unânime. Houve uma discussão entre os membros do júri de cerca de duas horas e depois chegou-se à decisão consensual. Primeiramente, pela contribuição extraordinária do escritor para a arte do conto, em particular para o enriquecimento de uma tradição que vem de Machado de Assis, no Brasil, de Edgar Allan Poe, nos Estados Unidos, e de Jorge Luís Borges, na Argentina. “Dalton Trevisan leva adiante essa tradição notável com uma nota muito pessoal”, comentou Silviano Santiago em nota divulgada pela Fundação Biblioteca Nacional, responsável pela parte brasileira do prêmio.

Nascido em 14 de junho de 1925, o curitibano Dalton Jérson Trevisan começou a carreira literária aos 20 anos de idade com o lançamento de Sonata ao Luar. Publicou mais de quatro dezenas de livros no Brasil e no exterior, entre eles O Maníaco do Olho Verde, Violetas e Pavões e O Vampiro de Curitiba, um dos mais conhecidos. Também recebeu importantes prêmios da literatura nacional, como quatro prêmios Jabuti.

Vencedores do Prêmio Camões

1989 — Miguel Torga (poeta e romancista português)
1990 — João Cabral de Melo Neto (poeta brasileiro)
1991 — José Craveirinha (poeta moçambicano)
1992 — Vergílio Ferreira (romancista português)
1993 — Rachel de Queiroz (romancista brasileira)
1994 — Jorge Amado (romancista brasileiro)
1995 — José Saramago (romancista português)
1996 — Eduardo Lourenço (crítico literário e ensaísta português)
1997 — Pepetela (romancista angolano)
1998 — Antonio Candido (crítico literário e ensaísta brasileiro)
1999 — Sophia de Mello Breyner Andresen (poeta portuguesa)
2000 — Autran Dourado (romancista brasileiro)
2001 — Eugénio de Andrade (poeta português)
2002 — Maria Velho da Costa (romancista portuguesa)
2003 — Rubem Fonseca (romancista brasileiro)
2004 — Agustina Bessa Luís (romancista portuguesa)
2005 — Lygia Fagundes Telles (romancista brasileira)
2006 — José Luandino Vieira (escritor angolano, recusou o prêmio)
2007 — António Lobo Antunes (romancista português)
2008 — João Ubaldo Ribeiro (romancista brasileiro)
2009 — Armênio Vieira (escritor de Cabo Verde)
2010 — Ferreira Gullar (poeta brasileiro)
2011 — Manuel António Pina (romancista português)

 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados