Santarrita in1MARCOS SANTARRITA nasceu no dia 16 de abril de 1941, na cidade Aracaju, Sergipe. Morreu no dia 5 de outubro de 2011, na cidade do Rio de Janeiro.

Embora tenha nascido no Sergipe, foi criado na Bahia, entre os municípios de Itamaraju e Ilhéus, no sul do estado. Costumava contar que a vocação para a carreira literária foi “descoberta” por um professor de português, quando cursava o científico — equivalente ao ensino médio atual — ainda em Ilhéus. A carreira profissional propriamente dita teve início em Salvador quando começou a colaborar, com traduções e contos, com os periódicoso Jornal da Bahia, A Tarde e Diário de Notícias.

Na década de 1960, fundou, em conjunto com outros escritores, a publicação literária Revista da Bahia. Em 1967, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi redator dos jornais O Globo, Jornal do Brasil, Última Hora e da revista semanal Fatos e Fotos. Também colaborou com o jornal Folha de S. Paulo e com a revista semanal Isto É.

Aficcionado por literatura, tornou-se referência em tradução. Verteu para o português mais de 120 obras, muitas de autores consagrados como Alexandre Dumas, Philip Roth, Dashiel Hammett, Eric Hobsbawn, J. G. Ballard e Charles Bukowski. Também escreveu romances, como A Ilha dos Trópicos, de 1990, e Mares do Sul, de 1999. Este último retrata uma mesma personagem em vária gerações de sua família, indo do início do século XIX até os dias de hoje. Por esse trabalho, recebeu um prêmio da Academia Brasileira de Letras em 2001. Em 2004, a academia voltaria a homenageá-lo pelo conjunto da obra.

Morreu aos 70 anos, vítima de câncer no pulmão, em sua residência, no Bairro de Copacabana, em outubro de 2011. O corpo foi velado na Capela da Real Grandeza, no Bairro do Botafogo, e entrerrado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados