ben-johnson1Johnson: flagrante de doping

Benjamin Sinclair Johnson nasceu no dia 30 de dezembro de 1961, na localidade de Falmouth, Jamaica.

Migrou com a família para o Canadá em 1976, estabelecendo-se num subúrbio da cidade de Toronto. Com talento para a velocidade, ele foi descoberto pelo técnico Charlie Francis, ex-campeão canadense dos 100 metros, no começo da década de 1970. Sob a tutela de Francis, conseguiu seu primeiro resultado internacional importante nas pistas em 1982, chegando em segundo lugar e ganhando a medalha de prata nos Jogos da Comunidade Britânica, realizados em Brisbane, na Austrália. No ano seguinte, entretanto, fracassou em conseguir um resultado digno de nota no Campeonato Mundial de Atletismo de Helsinque, sendo eliminado ainda nas semifinais da competição.

ben-johnson2No ano de 1984 participou dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, transformando-se num corredor de ponta, ao chegar em terceiro lugar na final dos 100 metros e conquistar o bronze. Repetiu o feito no revezamento 4 x 100 metros com a equipe canadense. No fim deste mesmo ano, ao mesmo tempo em que começava a ganhar uma surpreendente massa muscular, firmou-se como o principal velocista do Canadá, com o novo recorde nacional de 10s12 para a distância. Em 1985, após sete derrotas, finalmente derrotou o americano Carl Lewis, iniciando uma rivalidade que marcaria época nas pistas de atletismo. No ano seguinte, começou a se estabelecer como o velocista número um do mundo, derrotando o americano nos Jogos da Amizade de Moscou, correndo abaixo dos 10 segundos (9s95).

No Campeonato Mundial de Atletismo de Roma, em 1987, não só ganhou a medalha de ouro, mas também quebrou o o recorde dos 100 metros, cravando a espetacular marca de 9s83. O resultado o transformou numa celebridade mundial e um sucesso de marketing, passando a faturar cerca de 500 mil dólares mensais em publicidade. Foi também escolhido o Atleta do Ano de 1987 pela agência de notícias Associated Press. Em abril daquele ano, recebeu a comenda Ordem do Canadá. Em 1988, viria a quebrar o seu próprio recorde, fazendo a marca de 9s79 nos Jogos Olímpicos de Seul. Dois dias depois, porém, o teste antidoping deu positivo e ele teve de devolver a medalha olímpica conquistada. Foi suspenso por dois anos pelo Comitê Olímpico Internacional. Voltou às pistas em 1991, mas não conseguiu resultados satisfatórios.


 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados