paulo-moura in1Paulo Moura

05/05/2013 — Acaba de ser lançado um filme-documentário imperdível sobre a vida do musico Paulo Moura (1932-2010). Dirigido pelo cineasta Eduardo Escorel, traz à tona atuações relevantes, valorizando o variado espectro da carreira do artista. Paulo Moura — Alma Brasileira resgata no Brasil aquilo que no exterior há muito tempo já havia sido registrado: o músico, um dos maiores do país em todos os tempos, dedicou a vida à sua arte. Como disse o crítico Luiz Zanin Oricchio (jornal O Estado de São Paulo), os depoimentos são poucos: “a obra fala por si; a música de Paulo Moura bastava-se a si mesma”.

paulo-moura in2PAULO MOURA nasceu no dia 15 de julho de 1932, na cidade de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. Morreu no dia 12 de julho de 2010, na cidade do Rio de Janeiro, vítima de um linfoma (câncer no sistema linfático).

Fez parcerias com Maysa Matarazzo entre 1969 e 1975, chegando a participar do especial Maysa Estudos, produzido pela TV Cultura. Em 1982, compôs a trilha sonora do filme O Bom Burguês, dirigido apor Oswaldo Caldeira. Em 2005, fez uma turnê nacional e internacional com o espetáculo Homenagem a Tom Jobim, ao lado de Armandinho, Yamandú Costa e Marcos Suzano. Participou do documentário Brasileirinho, do finlandês Mika Kaurismaki, que, em 2005, foi mostrado no fórum do Festival de Berlim.

Em agosto de 2011, foi lançado o livro Paulo Moura, Um Solo Brasileiro, série de entrevistas gravadas entre 2008 e 2009. Junto com o livro veio o CD Fruto Maduro, que o músico havia gravado antes de morrer, em 12 de julho do ano passado. A obra foi organizada por sua esposa, a psicanalista Halina Grynberg, e teve edição bilíngüe (português e inglês). O CD contém 10 composições inéditas e mostra sua experiência com música eletrônica pela primeira vez. Das faixas, duas são só dele e sete são parcerias com André Sachs (violonista, guitarrista e tecladista). A outra é a clássica Caravam, de Irvin Mills, Juan Tisol e Duke Ellington, em suingado arranjo de samba.

De acordo com a crítica, o músico edificou sua obra tocando choro, jazz, samba de gafieira, música erudita e tudo o mais, sempre aberto a improvisações, tendências e inovações. Fez a sua carreira no Rio de Janeiro tocando saxofone em bailes. Venceu um concurso de calouros na Rádio Tupi e depois tocou na cobiçada Rádio Nacional. No tempo da Bossa Nova, percebeu que o meio musical carioca era muito restrito. Ele queria o mundo e acabou conquistando o seu objetivo, tocando com ícones da MPB e do jazz, como Elis Regina, Ary Barroso, Ella Fitzgerald e Cab Calloway. Em agosto de 2011, foi lançado o livro Paulo Moura — Um Solo Brasileiro. Trata-se de uma série de entrevistas do artista, que traz junto o disco Fruto Maduro, gravado em 2010.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados