mizuno1Mizuno

30/12/2020 — O Conselho Administrativo de Defesa Econômica aprovou a compra da marca de artigos esportivos Mizuno pela Vulcabras. Anteriormente controlada pela Alpargatas, a Mizuno custou R$ 200 milhões à Vulcabras em setembro. A operação abarca os ativos (exclui os industriais) e as atividades de venda dos produtos da marca, incluindo os canais de comércio eletrônico e as seis lojas físicas no país. Alegou-se ao órgão antitruste que ao adquirir a operação da Mizuno no Brasil a Vulcabras vislumbra uma oportunidade de ampliar a atuação no segmento de artigos esportivos. Para a Alpargatas, a operação objetiva o crescimento da empresa através de investimentos em tecnologia e inovação, dando prioridade à expansão global e digital.

pedro bartelle1Vulcabras
VULCABRAS foi fundada em 1952, na cidade de Jundiaí, São Paulo. Constitui-se na maior companhia do país no setor de calçados esportivos, femininos e confecções esportivas, contando, entre outras, com as marcas Azaléia, AZ, Dijean, Funny, Opanka, OLK, Olympikus, Reebok e Botas Vulcabras. Após o fechamento de seis fábricas na Bahia, de interromper as fabricações em sua filial no Rio Grande do Sul e de demitir 8,9 mil funcionários por causa de problemas financeiros, possui, atualmente, cinco fábricas: três no Brasil, uma na Argentina e uma na Índia. As unidades brasileiras estão no Ceará, no Sergipe e na Bahia. De acordo com os números da Bovespa, até o terceiro trimestre de 2020 o lucro líquido registra R$ 382,9 milhões.

Lucro
11/11/2020 — A calçadista Vulcabras Azaleia teve um lucro líquido de R$ 43,4 milhões no terceiro trimestre de 2020. Houve aumento de 3,8% na comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 41,8 milhões). Segundo o relatório encaminhado à Bolsa de Valores de São Paulo, a margem líquida da empresa ficou em 11,4% no período mencionado, redução de -0,2% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita líquida registrou R$ 382,9 milhões de janeiro a setembro, aumento de 6,5% sobre o mesmo período de 2019. Os números da Vulcabras indicam que as vendas pela internet mantiveram tendência de expansão. O e-commerce apresentou crescimento de 234,7% no terceiro trimestre de ano no comparativo com o ano passado. A receita nesse segmento totalizou R$ 34,2 milhões, crescimento de 32,3% sobre o segundo trimestre.

Justiça
30/10/2020 — Um acordo firmado entre o Ministério Público do Trabalho e a Vulcabras resultará na doação de 7,4 mil pares de calçados para comunidades carentes dos municípios de Parobé, Campo Bom, Novo Hamburgo, Igrejinha e Taquara, todos no Estado do Rio Grande do Sul. O ajuste também prevê a entrega de um micro-ônibus novo à cidade de Parobé para uso na área da saúde, além da transferência de R$ 225 mil para aquisição de equipamentos de proteção relacionados ao combate da COVID-19. O acordo decorre de uma ação civil pública ajuizada pelo MPTb em 2007. Na época, fiscais do Ministério do Trabalho constataram irregularidades relacionadas à saúde dos trabalhadores das unidades fabris da calçadista nas cidades mencionadas.

azaleia2Azaleia
25/09/2020 — A Vulcabras informou o licenciamento da marca Azaleia para a Grendene para produção e venda de calçados femininos. O acordo, válido por três anos e renováveis por igual período, vale para o Brasil e o exterior, exceto o Peru, o Chile e a Colômbia. Com o acordo, a Grendene passará a usar a marca Azaleia, sendo responsável, inclusive, pelo desenho dos calçados. A remuneração pelo uso da marca será paga com base num percentual da receita mensal dos produtos. O anúncio acontece dias após a Vulcabras ter fechado acordo para comprar a operação da marca Mizuno no Brasil, pagando R$ 32,5 milhões à Alpargatas. A marca Azaleia foi criada em 1958 na cidade de Parobé (RS). Em julho de 2007, a Vulcabras anunciou a aquisição da marca. A Azaleia contabilizava então a produção de 45 milhões de pares por ano.

100 milhões
01/06/2020 — A calçadista
Vulcabras informou que recorreu ao Banco do Nordeste para um empréstimo de até R$ 100 milhões. O dinheiro servirá como base para capital de giro da empresa. O pedido envolve quatro empréstimos de R$ 25 milhões. Em duas delas, a companhia oferece como garantia hipotecas de um imóvel de sua propriedade localizado em Jundiaí (SP). Os recursos são provenientes do próprio banco e do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste. O total poderá ser levantado em até quatro operações, de R$ 25 milhões, com prazo de pagamento de até trinta e seis meses cada uma. Esse empréstimo deverá manter a fábrica de Ipatinga (BA) em funcionamento. A Vulcabras ainda tem uma unidade na cidade de Horizonte, no Estado do Ceará.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados