banner-topo

Joseph Addison: poeta, teatrólogo, jornalista, político e diplomata — e frasista

joseph-addison in1Joseph Addison
linha-gif

Nasceu no dia 1.º de maio de 1672, na localidade de Milston, Wiltshire, Inglaterra. Morreu no dia 17 de junho de 1719, na localidade de Kensigton, Inglaterra.

Estudou no Queen´s College, de Oxford. Sua primeira obra a encontrar repercussão foi The Campaign (A Campanha), poema publicado em 1704, em homenagem ao duque de Marlborough, cuja vitória na Batalha de Blenheim fora decisiva na guerra da sucessão espanhola. Como protegido do Partido Liberal (Whig), obteve uma pensão para se aperfeiçoar no serviço do rei. Nesta condição, viajou durante quatro anos por diversos países da Europa. Ao regressar, tornou-se subsecretário de Estado, deputado e secretário do vice-rei da Irlanda.

Com a queda do ministério liberal, em 1710, afastou-se da política e passou a trabalhar na editoria do jornal The Tatler (O Tagarela). Publicou, logo após (1711-1714), outro jornal, The Spectador (O Espectador), que se tornaria mais tarde um dos principais periódicos ingleses. Obteve também grande sucesso no teatro com a tragédia Catão (1713), sobre os últimos dias do político romano Marcus Porcius Cato Uticensis, que viveu entre 95 e 46 a.C. Fez ataques virulentos ao Tratado de Utrecht, que pôs fim à guerra da sucessão espanhola. Com isso, reconquistou a proteção dos liberais e assumiu, em 1717, o cargo de secretário de Estado no governo inglês.

Era um frasista de primeira: “Um temperamento agradável pode compensar-nos da falta de beleza, mas a beleza não basta para nos indenizar de um temperamento desagradável”; “É ridículo para um homem criticar o trabalho de um outro se não se distinguiu pessoalmente na mesma realização”.


© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados