quimica 2017 vencedores1Criomicroscopia Eletrônica

04/10/2017 — Os cientistas Jacques Dubochet, Joachim Frank e Richard Henderson receberam o Prêmio Nobel de Química de 2017 pelo desenvolvimento da criomicroscopia eletrônica. O trabalho simplifica e melhora a imagem de biomoléculas, levando a bioquímica a uma nova era, de acordo com o relatório apresentado pela Academia Real Sueca de Ciências. Os pesquisadores, agora, podem congelar biomoléculas no meio do movimento e visualizar processos que nunca viram anteriormente. Isso é decisivo, segundo os cientistas, tanto para a compreensão básica da química da vida quanto para o desenvolvimento de produtos farmacêuticos.

jacques dubochet quimica 2017Jacques Dubochet
JACQUES DUBOCHET nasceu no dia 08 de junho de 1942, na cidade de Aigle, Cantão de Vaud, Suíça. Biofísico aposentado, foi um ex-pesquisador do Laboratório Europeu de Biologia Molecular, em Heidelberg, Alemanha. Também foi professor honorário de biofísica na Universidade de Lausanne, na Suíça. Durante a carreira, desenvolveu tecnologias em microscopia crio-eletrônica, tomografia eletrônica e microscopia crio-eletrônica de secções vítreas. Essas tecnologias são usadas para criar estruturas biológicas individuais, como complexos de proteínas ou partículas de vírus.

joachim frank quimica 2017Joachim Frank
JOACHIM FRANK nasceu no dia 12 de setembro de 1940, na cidade de Siegen, Renânia do Norte, Alemanha. Biofísico, é considerado o fundador da microscopia crio-elétron de uma única partícula (cryo-EM). Também fez contribuições significativas para a estrutura e função do ribossoma de bactérias e eucariotas. Mudou-se para os Estados Unidos para trabalhar no Instituto de Tecnologia da Califórnia, onde realizou a maior parte das suas pesquisas. Em 2008, ingressou na Universidade de Colúmbia, como professor de Bioquímica, Biofísica Molecular e Ciências Biológicas.

richard henderson quimica 2017Richard Henderson
RICHARD HENDERSON nasceu no dia 19 de julho de 1945, na cidade de Edimburgo, Escócia, Reino Unido. Biólogo molecular e biofísico, foi pioneiro no campo da microscopia eletrônica de moléculas biológicas. Trabalhou na estrutura e no mecanismo da quimotripsina para o seu Ph.D. Esse interesse em proteínas de membrana o levou a trabalhar em canais de sódio com tensão baixa como postdocção, na Universidade de Yale, Estados Unidos. Depois, passou a estudar a estrutura da proteína de membrana bacteriorodiopsina por microscopia eletrônica. Esse trabalho, iniciado em 1975, foi até 1990, quando publicou oficialmente os resultados.

Prêmio Nobel De Química
NOBEL DE QUÍMICA —  É outorgado pela Academia Real das Ciências da Suécia aos cientistas de vários campos da química. É um dos cinco prêmios estabelecidos em 1895 no testamento do cientista Alfred Nobel, morto em 1896. Conforme as orientações contidas no testamento, o prêmio é administrado pela Fundação Nobel e outorgado por um comitê de cinco membros, eleitos pela Academia Real. Na história da premiação, o primeiríssimo lugar pertence aos Estados Unidos, com 44 cientistas laureados. No segundo lugar, aparece o Reino UnidoInglaterra, Escócia, Irlanda e País de Gales —, com 24. A medalha de bronze é da Alemanha, com 22. Na América do Sul, apenas a Argentina tem uma láurea, conseguida pelo cientista Luis Federico Leloir, em 1970.


 

20171002 medicina vencedoresRitmo Circadiano

02/10/2017 — Três cientistas norte-americanos venceram o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 2017, escolhido pelo Instituto Karolinska, na Suécia. Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young foram laureados pelas descobertas acerca dos mecanismos moleculares que controlam o ritmo circadiano. Esse ritmo é uma espécie de relógio biológico interno, que regula o metabolismo dos seres humanos. O ritmo se adapta à fisiologia da pessoa, influenciando no sono, no comportamento, nos níveis hormonais e na temperatura corporal. Ele também é chamado de ciclo vigília-sono.

jeffrey c hall1Jeffrey Hall
JEFFREY CONNOR HALL nasceu no dia 03 de maio de 1945, no Distrito do Brooklin, Cidade de Nova York, Estados Unidos. Geneticista e cronobiologista, é professor emérito de biologia na Universidade Brandeis. Passou sua carreira examinando o componente neurológico do namoro da mosca e dos ritmos comportamentais. Através dessa pesquisa sobre neurologia e comportamento da Drosophila melanogaster, descobriu mecanismos essenciais de relógios biológicos e lançou luz sobre as bases para a diferenciação sexual no sistema nervoso. Foi eleito para a Academia Nacional de Ciências pelo trabalho revolucionário no campo da cronobiologia.

michael rosbach1Michael Rosbach
MICHAEL MORRIS ROSBACH nasceu no dia 07 de março de 1944, na cidade de Kansas, Estado do Missouri, Estados Unidos. Geneticista e cronobiologista, é professor na Universidade Brandeis e pesquisador do Howard Hughes Medical Institute. O seu grupo de pesquisa clonou o gene da Drosophila em 1984. Em 1998, descobriu o gene do ciclo, o gene do relógio e o fotorreceptor do criptocromo da mosca,  através do uso da genética direta, primeiro identificando o fenótipo de um mutante e depois determinando a genética por trás da mutação. Foi eleito para a Academia Nacional de Ciências em 2003.

michael w youngMichael Young
MICHAEL WARREN YOUNG nasceu no dia 28 de março de 1949, na cidade de Miami, Estado da Flórida, Estados Unidos. Biólogo, dedicou mais de três décadas da vida na pesquisa dos padrões geneticamente controlados do sono e da vigília da mosca Drosophila melanogaster. Durante o tempo na Universidade Rockefeller, o seu laboratório fez contribuições significativas no campo da cronobiologia, identificando genes fundamentais associados à regulação do relógio interno responsável pelos ritmos circadianos. Ele conseguiu elucidar a função do gene do período, o que é necessário para que a mosca exiba ciclos de sono normais. Ao seu  laboratório também é atribuída a descoberta dos genes intemporais e duplos, o que torna as proteínas também necessárias para o ritmo circadiano.

Vencedores Nos Últimos Dez Anos
2016 Yoshinori Ohsumi (Japão)

2015 Satoshi Ōmura (Japão)
2015 Tu Youyou (China)
2015 William Cecil Campbell (Irlanda)

2014 Edvard Moser (Noruega)
2014 John O'Keefe (Estados Unidos)
2014 May-Britt Moser (Noruega)

2013 James E. Rothman (Estados Unidos
2013 Randy Schekman (Estados Unidos)
2013 Thomas Südhof (Alemannha)

2012 John Gurdon (Inglaterra, Reino Unido)
2012 Shinya Yamanaka (Japão)
2011 Bruce Beutler (Estados Unidos)

2011 Jules Hoffmann (França)
2011 Ralph Steinman (Canadá)

2010 Robert Geoffrey Edwards (Inglaterra, Reino Unido)

2009 Carol Greider (Estados Unidos)
2009 Elizabeth Blackburn (Estados Unidos)
2009 Jack Szostak (Estados Unidos)

2008 Françoise Barré-Sinoussi (França)
2008 Harald zur Hausen (Alemanha)
2008 Luc Montagnier (França)

2007 Mario Capecchi (Itália)
2007 Martin Evans (Inglaterra, Reino Unido)
2007 Oliver Smithies (Inglaterra, Reino Unido)

2006 Andrew Fire (Estados Unidos)
2006 Craig Mello (Estados Unidos)


 

paz armas nucleares2Armas Nucleares

06/10/2017 — A Campanha Internacional para a Banimento das Armas Nucleares foi premiada com o Prêmio Nobel da Paz, anunciou o Comitê Nobel Norueguês. A organização, formada na Austrália, foi premiada pelo trabalho de chamamento para as consequências humanitárias catastróficas do uso de armas nucleares e pelos esforços inovadores para conseguir uma proibição da utilização dessas armas. De acordo com o comitê, o prêmio acontece num momento em que vários países estão modernizando os seus arsenais, como a Coreia do Norte. Também existe a interminável tensão entre o Irã, que tem potência para construir bombas nucleares, e o Estado de Israel, que já domina, há tempos, a tecnologia.

premionobel logoNobel da Paz
PRÊMIO NOBEL DA PAZ — É um dos cinco legados pelo inventor da dinamite, o sueco Alfred Nobel. O Comitê Nobel Norueguês, cujos membros são nomeados pelo parlamento do país, tem a função de escolher o laureado. De acordo com a vontade do criador, o prêmio deve distinguir “a pessoa que tivesse feito a maior ou melhor ação pela fraternidade entre as nações, pela abolição e redução dos esforços de guerra e pela manutenção e promoção de tratados de paz”. Ao contrário dos outros prêmios, este pode ser atribuído também a organizações que estejam envolvidas num processo de resolução de problemas. Até 2017, foram entregues 131 láureas. O país campeão são os Estados Unidos, com 22 (16,8%). No segundo lugar aparece a Suiça, com 11, seguida da França e do Reino Único, com oito.

Últimos Prêmios
2017 Campanha das Armas Nucleares (Austrália)
2016 Juan Manuel Santos (Colômbia)
2015 Quarteto Para o Diálogo Nacional (Tunísia)
2014 Malala Yousafzai (Paquistão)
2014 Kailash Satyarthi (Índia)
2013 Proibição de Armas Químicas (Holanda)
2012 União Europeia
2011 Ellen Johnson Sirleaf (Libéria)
2011 Leymah Gbowee (Libéria)
2011 Tawakel Karman (Iêmen)
2010 Liu Xiaobo (China)


richard h thaler 20171010Contabilidade Mental

10/10/2017 — O norte-americano Richard H. Thaler, de 72 anos, ganhou o Prêmio Nobel de Economia 2017 por ter desenvolvido a teoria da contabilidade mental, explicando como as pessoas simplificam a tomada de decisões financeiras. O economista incorporou pressupostos psicológicos realistas em análises de tomada de decisão econômica. Ao explorar as consequências da racionalidade limitada, das preferências sociais e da falta de autocontrole, mostrou como esses traços humanos afetam sistematicamente as decisões individuais, bem como os resultados do mercado financeiro. O comitê do Nobel de Economia disse que Thaler foi o pioneiro na aplicação da psicologia comportamental, em que compras são feitas com a rejeição, às vezes, da própria racionalidade.

nobel de economia moeda1Nobel De Economia
NOME OFICIAL: Prêmio do Banco da Suécia Para as Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel. Foi instituído em 1968 pelo Sveriges Riksbank, o Banco Central da Suécia, e atribuído pela primeira vez em 1969. Embora não seja um prêmio original da Fundação Nobel, o processo de indicação, os critérios de escolha e a apresentação da decisão são conduzidos de maneira similar à dos prêmios originais. Até 2017, foram distribuídas 79 láureas. No primeiríssimo lugar, estão os economistas dos Estados Unidos, com 49 prêmios (62% do total). Em segundo lugar, aparece o Reino Unido, com oito troféus. A medalha de bronze é da Noruega, com três. Não há vencedores na América do Sul. Entre os outros países, destaca-se a Índia, vencedora em 1998.

Os Últimos Laureados
2017 RICHARD THALER (Estados Unidos)
2016 BENGT HOLMSTROM (Finlândia)
2016 OLIVER HART (Reino Unido
2015 ANGUS DEATON (Estados Unidos)
2014 JEAN TIROLE (França)
2013 EUGENE FAMA (Estados Unidos)
2013 LARS PETER HANSEN (Estados Unidos)
2013 ROBERT SHILLER (Estados Unidos)
2012 ALVIN ROTH (Estados Unidos
2012 LLOYD SHAPLEY (Estados Unidos)
2011 CHRISTOPHER SIMS (Estados Unidos)
2011 THOMAS SARGENT (Estados Unidos)

nobel de economia1Nobel De Economia 2016
10/10/2016 — Oliver Hart, de 68 anos, e Bengt Holmström, de 67, venceram o Prêmio Nobel de Economia 2016. O primeiro é britânico e professor da Universidade de Harvard, Estados Unidos. O segundo é finlandês e professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, também nos Estados Unidos. O Nobel de Economia vale aos vencedores oito milhões de coroas suecas, o equivalente a R$ 3.028.000,00. De acordo com o comunicado da academia sueca, “as novas ferramentas teóricas criadas pelo Hart e pelo Holmstroem são valiosas para a compreensão dos contratos e instituições da vida real, bem como armadilhas potenciais no projeto de contrato”.

OLIVER SIMON D´ARCY HART nasceu no dia 09 de outubro de 1948, na cidade de Londres, Inglaterra, Reino Unido. Graduou-se em matemática na Universidade de Cambridge em 1969. Em 1972, obteve o mestrado em economia na Universidade de Warwick, da sua cidade natal. Em 1974, foi para os Estados Unidos, obtendo o doutorado na Universidade de Princeton, em Nova Jersey. De volta ao seu país, tornou-se professor na Escola de Economia de Londres. Em 1984, voltou para os Estados Unidos para dar aulas no Instituto de Tecnologia de Massachusets. Em 1993, transferiu-se para a Universidade de Harvard. Escreveu o livro “Empresas, contratos e Estrutura Financeira”, publicado pela Universidade de Oxford em 1995.

BENGT ROBERT HOLMSTROM nasceu no dia 18 de abril de 1949, na cidade de Helsinke, capital da Finlândia. Graduou-se em matemática na universidade da sua cidade natal. Em 1975, obteve a licenciatura na Universidade de Stanford, Estados Unidos, onde também obteve o doutorado em 1975. Em 1994, foi contratado para dar aulas no Instituto de Tecnologia de Massachusetes, nos Estados Unidos, no qual desenvolveu o seu principal trabalho: a teoria geral dos contratos. Até 2012, pertenceu ao conselho de administração da Nokia, uma empresa do seu país, gigante mundial da tecnologia de comunicações. Escreveu vários artigos e trabalhos na área da economia.


kazuo ishiguro japaoKazuo Ishiguro

05/10/2017 — Kazuo Ishiguro, autor japonês do livro “Os Vestígios do Dia”, vai receber o Prêmio Nobel de Literatura de 2017, anunciou a Academia Sueca. Pelo romance, ele já havia ganhado o Man Booker de 1989. O livro foi adaptado para o cinema em 1993 e indicado para o Oscar de 2004. A Academia Sueca elogiou a habilidade do autor em desvendar “o abismo sob nosso senso ilusório de conexão com o mundo”. O prêmio equivalente a US$ 1,1 milhão marca um retorno a uma interpretação mais tradicional de literatura, depois de ter sido concedido ao cantor e compositor norte-americano Bob Dylan, em 2016. Embora japonês, o laureado mora na Inglaterra desde os cinco anos.

Kazuo Ishiguro começou a chamar atenção nos anos 1980 com a obra “A Pale View of the Hills” (“Uma Vista Pálida das Colinas”). Alcançou fama global com o livro “Os Vestígios do Dia”, lançado no Brasil em 1989. É a história de um mordomo exigente e reprimido no Reino Unido, após a Segunda Guerra Mundial. A versão cinematográfica foi estrelada pelo Anthony Hopkins e pela Emma Thompson. Agora, o japonês se junta a nomes como Alexander Solzhenitsyn, Doris Lessing e Ernest Hemingway e outros famosos como vencedor do o prêmio literário mais prestigioso do mundo. Com o anúncio do prêmio, a crítica especializada elogiou a Academia Sueca por ter “voltado aos trilhos”. O meio literário viu como uma desfeita a entrega do prêmio de 2016 a um compositor popular (Bob Dylan).

Nobel de Literatura
PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA — É concedido anualmente desde 1901. É atribuído a um autor de qualquer nacionalidade que tenha produzido trabalho relevante  numa direção ideal, na qual expõe o seu estilo, as suas filosofias e a sua mentalidade. Quem escolhe o laureado é a Academia Sueca. Para muitos,  esse o maior e mais distinto prêmio que um escritor ou uma escritora pode receber no ramo em que atua. Até 2017, foram entregues 114 prêmios. O primeiro a ganhar, em 1901, foi o francês Sully Prudhomme, tendo em vista o elevado idealismo das suas poesias. A França é, também, a maior vencedora, com 14 troféus (12,3%). No segundo lugar aparecem os Estados Unidos, com 11, e, no terceiro, a Alemanha, com 10. Completam o “top cinco”  a Suécia, com nove, e o Reino Unido, com oito.

Últimos Vencedores
2017 Kazuo Ishiguro (Japão)
2016 Bob Dylan (Estados Unidos)
2015 Svetlana Alexijevich (Bielorrússia)
2014 Patrick Modiano (França)
2013 Alice Munro (Canadá)
2012 Mo Yan (China)
2011 Tomas Tranströmer (Suécia)
2010 Mario Vargas Llosa (Peru)

Clique AQUI para ver a lista completa


Subcategorias

 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados