o irlandes2The Irishman

14/08/2019 — O ator Robert de Niro, aos setenta e seis anos, vai estar nos cinemas com mais um filme de ação. Trata-se da biografia do líder sindical americano Frank Sheeran. Com o título de “O Irlandês”, o filme conta que o biografado é um veterano de guerra cheio de condecorações que concilia a vida de caminhoneiro com a de assassino de aluguel número um da Máfia. Promovido a líder sindical, o personagem se torna o principal suspeito quando o mais famoso ex-presidente da associação dos caminhoneiros desaparece misteriosamente. Esse é 116.º crédito do De Niro como ator. Em 2019, ele também completou a participação na nova versão para os cinemas do personagem dos quadrinhos “O Coringa”. Este chegará aos cinemas brasileiros no dia três de outubro.

20190814aDe Niro
ROBERT ANTHONY DE NIRO JR. nasceu na cidade de Nova York, no dia dezessete de agosto de 1943. Seus pais, ambos artistas, separaram-se quando tinha dois anos. Pisou num palco pela primeira vez no teatro da escola pública, interpretando o leão covarde na peça “O Mágico de Oz”. Mas era tão tímido que desistiu de ser ator e se juntou a uma quadrilha de rua. Com dezesseis anos, parou de estudar e voltou ao teatro. Aos poucos, foi conseguindo espaço em peças e filmes baratos. De 1968 em diante, começou a ser visto numa série de filmes.

Como destaques, podem ser citados o “Festa de Casamento” (1969), “Os Cinco de Chicago” (1970) e “Caminhos Perigosos” (1973). Em 1974, o diretor Francis Ford Coppola o escolheu para interpretar o jovem Vito Corleone no filme “O Poderoso Chefão 2”. O desempenho lhe garantiu o Oscar de melhor ator coadjuvante. Depois de estrelar o épico “1900”, do diretor Bernardo Bertolucci, em 1976, fez, no mesmo ano, o seu filme mais controvertido: “Taxi Driver”. A produção, muito discutida na época, fez furor cinco anos depois quando o homicida John Hinckley afirmou ter-se inspirado no personagem do De Niro para disparar contra o presidente Ronald Reagan.

Em 1978, o ator trabalhou em outro filme que deu o que falar: “O Franco Atirador”, filmado parcialmente na Tailândia para simular o VietnãNos Estados Unidos, o filme jamais foi exibido nas grandes redes de televisão por receio de que a cena em que os prisioneiros de guerra jogam roleta-russa pudesse influenciar os mais jovens a fazerem o mesmo. Para ganhar o segundo Oscar, em 1980, pelo papel do lutador Jake LaMotta, do drama esportivo “O Touro Indomável”, o De Niro submeteu-se a algo que poucos atores se dariam ao trabalho: engordou trinta quilos para mostrar a decadência do boxeador depois de velho. Nem todos os seus filmes seguintes foram sucesso de bilheteria, mas em todos o ator valeu o ingresso, como o “Os Intocáveis”, de 1987, em que fez o mafioso Al Capone.

Mas ele continuou como um dos atores mais requisitados de HollywoodNa década de 1990 foram mais de vinte filmes, com destaque para o suspense “Cabo do Medo”, de 1991, o drama “Cassino”, de 1995, e a comédia “A Máfia No Divã”, de 1999. A década de 2000 foi menos intensa, mas a crítica ressalta a sua participação no suspense de crime e mistério “As Duas Faces da Lei”, feito junto com o Al Pacino. Em 2011, veio um novo reconhecimento pela incrível contribuição que deu para a indústria cinematográfica americana. Ganhou o prêmio honorário do Globo de Ouro pelo conjunto da obra. Em 2019, esteve nos cinemas mundiais com a comédia familiar “Guerra Com o Avô”. Também terminou outros dois filmes: “Coringa”, uma versão do personagem em quadrinhos, e “O Irlandês”, em que faz um veterano de guerra cheio de condecorações que concilia a vida de caminhoneiro com a de assassino de aluguel.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados