20181127Bolsonaro & Governo

26/11/2018 — O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou o general Carlos Alberto dos Santos Cruz para comandar a Secretaria de Governo. Nesta condição ele comandará a articulação política e de projetos. Atualmente, a pasta tem a função de articulação com o Congresso Nacional. Antes, o militar era dado como certo para a Secretaria Nacional de Segurança Pública, órgão do Ministério da Justiça, mas houve uma mudança de planos. Santos Cruz esteve à frente desta secretaria no governo de Michel Temer. Além disso, registra no currículo a chefia da missão de paz das Nações Unidas no Haiti e comando da força de paz da ONU em missão de estabilização no Congo. O futuro ministro é gaúcho, da cidade de Rio Grande.

20181121Bolsonaro & Saúde
21/11/2018 — O ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) será o ministro da Saúde. O parlamentar, membro da Frente Parlamentar da Saúde, foi confirmado numa reunião com representantes Associação das Santas Casas do Brasil. De 53 anos, o futuro ministro e deputado federal por dois mandatos. Nas eleições de outubro de 2018, decidiu não se candidatar. O mato-grossense vinha sendo cogitado há algum tempo, mas não havia sido confirmado porque estaria sendo investigado por fraude em licitação, tráfico de influência e caixa dois na implementação de um sistema de prontuário eletrônico quando era secretário de Saúde na cidade de Campo Grande. Entretanto, apurou-se que ele, por enquanto, não é réu em nenhuma ação penal.

roberto castello branco1Bolsonaro & Petrobras
20/11/2018 — O economista Roberto Castello Branco vai assumir a presidência da Petrobras no governo do Jair Bolsonaro. O presidente eleito disse nesta segunda-feira (19) que a petroleira é estratégica, mas partes dela podem ser colocadas à venda a partir de 2019. O indicado para a presidência é doutor pela Universidade de Chicago e ocupou cargos de direção no Banco Central e na Vale Mineradora. Também passou pelo Conselho de Administração da própria Petrobras e é diretor do centro de estudos econômicos da Fundação Getúlio Vargas. De maneira geral, o mercado reagiu bem à escolha, pois ela garante a continuidade dos projetos da companhia. O lucro líquido da estatal do petróleo em 2018 chegou aos R$ 23,6 bilhões em setembro, representando 371% de crescimento em relação ao mesmo período de 2017.

20181114Ministério da Defesa
14/11/2018 — O general Fernando Azevedo e Silva será o ministro da Defesa no Governo Bolsonaro. O próprio presidente eleito deu a notícia em suas contas nas redes sociais. O militar ocupará a vaga anteriormente destinada ao general Augusto Heleno. Este, como se sabe, foi redirecionado para o gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. Silva tem um extenso currículo dentro das Forças Armadas. Foi chefe do Estado Maior do Exército e comandante militar do leste, cuja base é a cidade de São Paulo. Além disso, funcionou, em 2016, como chefe da autoridade pública nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Aposentou-se em setembro passado, quando assumiu o cargo de assessor no gabinete do presidente do Supremo Tribunal Federal.  O novo ministro da Defesa nasceu no Rio de Janeiro.

20181108Bolsonaro & Agricultura
08/11/2018 — A deputada federal Tereza Cristina Corrêa será a ministra da Agricultura no Governo Bolsonaro. Ela chegou ao cargo por indicação da Frente Parlamentar Agropecuária, formada por vinte deputados federais. Engenheira agrônoma e empresária, a ministra é presidente da tal frente e tem uma longa trajetória no setor. Foi secretária do Desenvolvimento Agrário da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo do Estado do Mato Grosso do Sul entre 2007 e 2014. Em 2014, aliás, elegeu-se deputada federal pelo partido Democratas, com 75.149 votos. Como líder da bancada ruralista, foi uma das principais responsáveis pela aprovação da lei de regulamentação do uso agrotóxicos nas lavouras brasileiras. É a primeira mulher indicada para integrar o ministério do Bolsonaro.

20181102Moro & Pesquisa
07/11/2018 — De acordo com levantamento do instituto Paraná Pesquisas, 82,6% dos brasileiros consideram que o juiz Sérgio Moro foi a escolha certa para liderar o Ministério da Justiça nos próximos quatro anos, conforme anunciou o presidente eleito Jair Bolsonaro. O juiz era responsável pelos processos da Operação Lava-Jato na primeira instância em Curitiba. Ele comandou a 13.ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelo julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá. Para assumir o cargo de ministro, o magistrado deverá deixar a magistratura. Segundo a pesquisa, apenas 14,6% dos entrevistados consideraram errada a decisão do Sérgio Moro em aceitar a indicação. O levantamento ouviu 2.020 pessoas em 174 municípios de 26 estados e do Distrito Federal.

Moro & Bolsonaro
02/11/2018 — O juiz federal paranaense Sérgio Moro aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir, a partir de janeiro, o Ministério da Justiça. Até dezembro, ele terá de pedir exoneração do cargo de juiz, pois a Constituição Federal não permite esse tipo de acumulação de cargos. Pesou para a aceitação do convite a aceitação, pelo presidente eleito, de combater firme a corrupção e o crime organizado. Sérgio Moro ganhou projeção internacional ao conduzir, de Curitiba, os processos decorrentes da Operação Lava-Jato. Dentre os políticos de alto coturno sentenciados pelo magistrado está o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba. Em suas primeiras declarações, o futuro ministro da Justiça disse que vai aproveitar no ministério ex-integrantes da Operação Lava-Jato.

20181101Marcos Pontes
31/10/2018 — Em anúncio feito em suas redes sociais, o presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou o tenente-coronel Marcos Pontes para o Ministério da Ciência e Tecnologia. O indicado nasceu na cidade de Bauru, no dia 11 de março de 1963. Em 1981, ingressou na Academia da Força Aérea, onde fez cursos de paraquedismo e se tornou piloto de caça. Também é graduado em engenharia aeronáutica, curso superior que fez no Instituto Tecnológico da Aeronáutica. Em 2006, depois de anos prestando serviços à NASA, agência espacial americana, tornou-se o primeiro brasileiro a ir ao espaço. Na Estação Espacial Internacional, participou de experimentos científicos relativos à microgravidade. No ministério, sob o seu comando, estarão todas as universidades federais.

Bolsonaro & Empresas
30/10/2018 — No governo do presidente Jair Bolsonaro, a partir do dia 1.º de janeiro de 2019, uma das primeiras empresas a serem colocadas à venda será a Empresa Brasil de Comunicação, mantenedora do canal de tevê aberto TV Brasil. A empresa foi fundada no dia 02 de dezembro de 2007, no governo do Lula da Silva, para, supostamente, divulgar os atos do governo e para fazer uma programação voltada para a cultura e a educação. Ao longo do tempo, porém, virou um cabide de empregos para artistas aliados do Partido dos Trabalhadores. Nas medições do Ibope, a audiência da TV Brasil não dá traço. Mas os custos para a sua manutenção é muito alto, segundo a equipe econômica do novo presidentes. A decisão foi anunciada pelo presidente Bolsonaro em entrevista à TV Bandeirantes.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados