200225aSan Martín

JOSÉ FRANCISCO DE SAN MARTÍN y MATORRAS nasceu no dia 25 de fevereiro de 1778, na cidade de Yapeyú, Província de Corrientes, Argentina. Morreu no dia 17 de agosto de 1850, na cidade de Boulogne-sur-Mer, França. Era filho de um militar espanhol de origem aristocrática. Tinha sete anos quando foi com o pai para a Espanha. Estudou no Real Seminário dos Nobres em Madri. A exemplo do pai, seguiu a carreira militar, servindo a Espanha durante vinte e dois anos. Participou de campanhas na África em 1791, em Portugal entre 1801 e 1807 e nas operações da Guerra da Independência Espanhola.

Em 1812, com a patente de coronel, retornou para a Argentina. Logo se colocou à disposição das forças que lutavam pela independência. Em 1814, após as derrotas sofridas pelo Exército do Alto Peru, substituiu o general Manuel Belgrano na chefia da corporação. No comando, entre 1814 e 1817, organizou o Exército dos Andes, composto por 5.200 homens. Em janeiro de 1817, empreendeu a travessia da cordilheira e obteve, no mês seguinte, a vitória na Batalha de Chacabuco, à qual se seguiu a ocupação da cidade de Santiago. A vitória na Batalha de Maipú em 1818 deu ao Chile a independência definitiva em relação à Espanha. A seguir, preparou a expedição contra o vice-rei espanhol do Peru.

Em agosto de 1820, partiu da cidade de Valparaíso com uma frota sob o comando do almirante inglês Lorde Cocrane. Após desembarcar no Peru com quatro mil homens, derrotou os espanhóis em várias batalhas, com destaque para as travadas em Palpa, Nazca e El Paso. Entrou triunfalmente na cidade de Lima em julho de 1821 e proclamou a independência do Peru, erigindo-se “protetor supremo” do país. Atendendo ao pedido de ajuda dos revolucionários colombianos, enviou-lhes homens e armas. Dessa medida, resultou a vitória na Batalha de Pichincha em 1822 e a independência do Equador. Participou também de parte da luta dos venezuelanos pela independência. Não conseguiu, porém, um acordo com o general Simon Bolívar para ações conjuntas. Decepcionado, retirou-se da vida militar e exilou-se na França.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados