banner-topo

Siri Hustvedt, uma das escritoras norte-americanas mais versáteis da atualidade

siri-hustvedt in1 Siri Hustvedt

Nasceu no dia 19 de fevereiro de 1955, na cidade de Northfield, Minnesota, Estados Unidos.

Bisneta de emigrantes noruegueses, licenciou-se em História no St. Olaf College e doutorou-se em literatura inglesa na Universidade de Columbia (Nova York), com a tese de dissertação Figures of Dust: A Reading of Our Mutual Friend, baseada na obra de Charles Dickens. Em 1981, casou-se com o escritor Paul Auster. Dessa relação nasceu em 1987 a sua única filha, Sophie Auster, que é atriz e cantora. Para ela, um romance exige um íntimo contato com o inconsciente. Por isso, declarou: “Para mim, é como estar consciente durante um sonho” (Veja, 14 de julho de 2004).

Em 2004, a Editora Companhia das Letras lançou o primeiro livro da escritora no Brasil: O Que Eu Amava (What I Loved), escrito em 2003. Com tradução de Sônia Moreira, a romance versa sobre a vida de um professor universitário de história da arte, Leo Hertzberg. Ele está ficando cego e decide escrever sobre seu envolvimento com o pintor William Wechsler, que ele conhecera nos anos de 1970. Os dois viveram no mesmo prédio em Nova York e tiveram filhos pela mesma época. A princípio uma tranquila história de amizade, a narrativa aos poucos vai desvelando um segredo perturbador. A escritora veio ao à Feira Literária Internacional de Parati naquele ano para lançar o livro.

o-encantamento-de-lily-dahl c1Em 2008, saiu o seu segundo livro no Brasil, com tradução de Anna Olga de Barros Barreto: O Encantamento de Lily Dahl (The Enchantment of Lily Dahl), escrito em 1996. O romance registra a vida provinciana de uma cidadezinha de Minnesota, estado natal da autora, a partir da perspectiva de Lily Dahl, uma aspirante a atriz de 19 anos, que trabalha como garçonete enquanto participa de ensaios para a montagem da peça Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare. O livro inclui um enredo policial, com alguns elementos góticos. Mas sua força está na sensibilidade com que a autora descreve o amadurecimento da personagem central (Veja, 23 de julho de 2008).

Em 2010, foi lançado sua terceira obra no Brasil: Desilusões de Um Americano (The Sorrows of an American), escrito em 2008, tradução de Rubens Figueiredo. Logo após a morte do pai, o psicanalista Eric Davidsen e sua irmã filósofa, Inga, descobrem que o falecido deixara um livro de memórias. Imigrante norueguês, o pai narra sua difícil adaptação aos Estados Unidos, onde se estabelecera como fazendeiro no Estado de Minnesota, antes de se converter em professor de história. A escritora faz uma biografia romanceada do próprio pai, numa narrativa que conjuga drama familiar e especulação intelectual. Em 2014, a Companhia das Letras lançou “O Mundo Em Chamas”, no qual, lutando contra misoginia (aversão ao universo feminino) nas artes plásticas, ela cria três heterônimos masculinos. A obra é baseada em argumentos históricos e artísticos.


 


© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados