banner-topo

T. S. Eliot, norte-americano, o maior poeta contemporâneo da língua inglesa

t-s-eliot1T. S. Eliot

THOMAS STEARNS ELIOT nasceu no dia 26 de setembro de 1888, na cidade de St. Louis, Missouri, Estados Unidos. Morreu no dia 4 de janeiro de 1965, na cidade de Londres, Inglaterra.

Estudou na Universidade de Harvard, mas sofreu, desde a juventude, profunda atração pela velha cultura europeia. Entre 1910 e 1913, frequentou a Universidade de Sorbonne, em Paris, deixando-se influenciar pelos simbolistas franceses e entusiasmando-se com Henry James, John Donne, Robert Browning, Dante Alighieri e as últimas produções do teatro elisabetano. Já em 1908, com a leitura de Arthur Symons, descobriu os poetas malditos Jules Larforgue e Tristan Corbière.

Ao se iniciar a Primeira Guerra Mundial em 1914, fixou-se na Inglaterra. Em 1917, escreveu sobre a poesia e métrica de Ezra Pound, outro poeta americano igualmente radicado na Europa e grande animador de movimentos literários. No mesmo ano, lançou também um pequeno volume de versos. Nele, algumas composições eram velhas sátiras, ainda do seu tempo de faculdade. A publicação de Poemas, em 1919, mais uma vez ficou patente sua admiração pelos escritores franceses. Denotou também sua evolução como poeta durante os primeiros anos do pós-guerra. Nessa época, entrou em contato com as ideias de T. E. Hulme, cujas concepções deram início ao Imagismo, precursor do modernismo poético na Inglaterra.

t-s-eliot2O canto da desolação da Europa do pós-guerra apareceu Terra Devastada, de 1922. Ele se levanta contra a anarquia instaurada pelo Romantismo, recusando-se a considerar a poesia apenas como uma efusão individual. Essa obra, marcada pela ordem, pelo emprego de alusões e de símbolos, caracterizou claramente suas posições, que nela aponta o vazio, a futilidade da existência privada da fé ou mesmo de uma instabilidade interior, ao mesmo tempo em que considera a morte como um meio de adquirir uma verdadeira vida. Entre 1922 e 1928, foi diretor da revista Criterium. Com isso, passou a ser muito influente na difusão das letras europeias.

Ao se tornar cidadão britânico, adotou as práticas da Igreja Anglicana, resumindo, assim, suas ideias fundamentais: “anglicano em religião, clássico em literatura, realista em política”. Concentrou-se principalmente no problema das relações entre as aparências materiais e a realidade espiritual, o que lhe inspirou o poema Ash-Wednesday, de 1930. Nele, os temas da e redenção e da penitência alternam sentimentos contraditórios: é a confissão de uma fé ainda imperfeita, em que afirma seu desejo de se elevar acima de si mesmo. Essas preocupações espirituais apareceriam também em Quatro Quartetos, escritos entre 1935 e 19943. Um dos temas dominantes dessa obra é o da continuidade da experiência aliada à redenção através do tempo.

Depois de Sweency Agonistes, de 1932, tentou adotar um ritmo sincopado e rápido para seus poemas e diálogos teatrais. Em 1934, realizou uma nova experiência, reunindo muitos versículos da Bíblia na peça A Pedra, composta para uma representação sacra. Finalmente, em 1935, apresentou Assassínio Na Catedral, obra baseada no assassinado do prelado inglês Thomas Beckett (1118-1170), arcebispo de Canterbury, a qual se tornou, pela perfeita aliança entre lirismo e rigor clássico, uma das principais obras do teatro contemporâneo. Pelo conjunto da obra, recebeu, em 1948, o Prêmio Nobel de Literatura. É considerado pela crítica o maior poeta contemporâneo da língua inglesa.


© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados