banner-topo

Norman Mailer, um maiores autores norte-americanos de todos os tempos

n-mailer1Norman Mailer: dois Pulitzer

NORMAN KINGLEY MAILER nasceu no dia 31 de janeiro de 1923, na localidade de Long Branch, Nova Jersey, Estados Unidos. Morreu no dia 10 de novembro de 2007, na cidade de Nova York.

Nasceu no seio de um tradicional clã judeu da cidade e cresceu rebelde e ansioso pelos holofotes. Morando em Nova York desde 1932, surpreendeu o mundo universitário ao entrar na Universidade de Harvard aos 16 anos de idade, aparecendo para o primeiro dia de aula em trajes que ficariam tatuados na memória dos colegas de turma: jaqueta dourada, calça com listras azuis e verdes e alpercatas brancas. Apesar de matriculado em engenharia, foi arrebatado pela literatura desde o começo dos estudos. Influenciado pelos escritos de John Steinbeck, James T. Farrel e John dos Passos, começou a escrever longos textos diários, com cerca de três mil palavras cada, para aperfeiçoar-se no ofício.

n-mailer2Em 1941, tinindo na nova atividade, abocanhou o prêmio de melhor conto no concurso universitário promovido pela revista Short. Formou-se dois anos mais tarde e alistou-se para combater na guerra, já pensando em coletar experiências para um grande livro sobre o combate. O tiro seria certeiro. Convocado em 1944, foi enviado para as Filipinas e rodou o Oceano Pacífico até chegar ao Japão. No total, foram dezoito meses de serviço com o 112.º Batalhão da Cavalaria. Sua mais alta patente foi sargento técnico — que, na prática, significava primeiro cozinheiro. Teve poucos momentos de ação. Mas esses, especialmente algumas patrulhas em Leyte, seriam suficientes para inspirar o recruta em seu assalto literário. Na volta aos Estados Unidos, reuniu as mais de cem cartas que enviou à esposa relatando suas impressões do front.

Em um ano e meio de trabalho concluiu seu romance de estréia.“Os Nus e os Mortos”, segundo a crítica, impressiona pela crueza do relato. A violência está de tal forma arraigada nos personagens — integrantes de um batalhão americano estacionado numa ilha do Pacífico — que nada, nem mesmo os flashbacks da vida na terra natal, escapam a ela. Não há paz, apenas a guerra, sem dignidade e sem propósito. Muitos leitores ficaram chocados com a pena atrevida do autor, bastante carregada na obscenidade do vernáculo e do comportamento dos combatentes. Mas nada disso é descabido: seus soldados são pessoas reais, agoniadas e atormentadas. Ao expor o sangue e as entranhas da guerra, mais do que a coragem e a glória, o autor atingiu uma excelência literária reservada a poucos veteranos.

os-nus-e-os-mortos1O livro foi louvado nos Estados Unidos quando saiu em 1948. Vendeu 100 mil exemplares somente no primeiro mês do lançamento. Baseado nesta obra, o diretor Raoul Walsh levou para as telas em 1958 o filme “The Naked and the Dead” (No Brasil, “A Morte Tem Seu Preço”). Depois do início fulminante, escreveria outras obras que ficariam famosas. O destaque vai para “Os Exércitos da Noite” e “A Canção do Carrasco”, pelos quais foi laureado com o Prêmio Pulitzer, o maior prêmio literário do seu país. Em 1973, criaria uma nova polêmica ao lançar uma biografia da estrela “Marilyn Monroe”. Na obra, ele imputou ao FBI e à CIA a responsabilidade pela morte da atriz, ocorrida em 1962. Ela tinha um romance com o então presidente John Kennedy, condenado pelas forças nacionais de segurança.

Lançamentos no Brasil
1967 — Os Exércitos da Noite
1976 — Os Nus e os Mortos
1980 — A Canção do Carrasco
1997 — The Fight
2006 — O Super Homem Vai ao Supermercado
2007 — O Castelo da Floresta
2007 — O Evangelho Segundo o Filho
2007 — Um Sonho Americano
2008 — O Grande Vazio
2010 — Moonfire
2011 — A Luta
2013 — Marilyn



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados