banner-topo

La Fontaine, o autor francês das “Fábulas” que atravessaram os séculos

la-fontaine in1La Fontaine

JEAN DE LA FONTAINE nasceu no dia 8 de julho de 1621, na localidade de Château-Thierry, Departamento de Champagne, França. Morreu no dia 13 de abril de 1695, na cidade de Paris.

Descendente de uma importante família da província em que nasceu, entrou no seminário em 1641, mas logo perdeu o interesse pela carreira religiosa, abandonando-a no ano seguinte. Em 1647, casou-se com uma jovem de catorze anos, separando-se pouco tempo depois. Foi então para Paris, onde iniciou a carreira literária, publicando epigramas e baladas. Em 1654, traduziu o Eunuco, do escritor latino Publio Terêncio Afro. Depois desse trabalho, sua primeira obra importante foi um livro de contos, que apareceu em 1664. Na época, formou-se o grupo conhecido como “O Quarteto da Rue du Vieux Colombier”, do qual ainda faziam parte Jean Racine, Nicolas Boileau e Molière.

Entre 1664 e 1674, terminou quase todos os seus contos e fábulas. Além disso, publicou o romance Pisquê, o poema Saint-Malo, a comédia mitológica Climene e ainda sonetos, baladas, odes e traduções de versos latinos. Candidato à Academia Francesa em 1682, teve sua proposta aceita no ano seguinte. Sucedeu naquela instituição ao político e financista Jean-Baptiste Colbert, que sempre fora seu inimigo. Para comemorar o fato, apresentou aos amigos o primeiro de seus Discursos a Madame de La Sabière, obra em que fez uma profunda autoanálise. Em 1692, bastante doente, decidiu novamente se aproximar da religião, chegando mesmo a escrever uma obra sobre a fé. Apesar de aparentemente infantis, suas Fábulas estão permeadas de pensamentos filosóficos.


© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados