choderlos de laclos1Chordelos de Laclos

PIERRE AMBROISE FRANÇOIS CHODERLOS DE LACLOS nasceu no dia 18 de outubro de 1741 na cidade de Amiens, Região dos Altos, França. Morreu no dia cinco de setembro de 1803 na cidade de Tarento, Itália. Depois de terminar os estudos colegiais, ingressou no exército. Como integrante do Corpo Real de Artilharia foi em 1769 transferido para a cidade de Grenoble. Começou a escrever nas folgas do trabalho militar para passar o tempo. Os primeiros poemas foram publicados em 1773. Obteve com essas composições relativo sucesso nos salões da cidade de Paris.

Com a boa aceitação dos poemas, evoluiu para os contos em versos, com destaque para  o “A Procissão” e “A Boa Escolha”. Com a transferência do regimento para a cidade de Besançon em 1775, lá escreveu a letra para duas óperas denominadas “A Matrona” e “Ernestina”. Em 1779, destacado para a cidade de Rochefort, ocupou o tempo livre para começar a escrever a sua obra-prima, o romance “Ligações Perigosas”. Trabalhou no livro entre 1780 e 1781, publicando-o em 1782. O texto causou sucesso e também escândalo em vista da conduta das personagens. Considerado uma crônica de costumes do Século 18,  o livro foi oficialmente condenado. O Laclos, entretanto, não teve problemas com o fato.

Chegou até a ser eleito membro da Academia de La Rochelle em 1785. Durante a Revolução Francesa entrou para o clube dos jacobinos. Era apaixonadamente democrático. Assim, foi o primeiro a lançar a ideia da assistência jurídica gratuita. Em 1791, ainda no exército, promoveu-se a general de campo. Assumiu também o cargo de chefe do estado maior nos Montes Pireneus. Mais tarde, recebeu o cargo de governador geral dos estabelecimentos franceses na Índia. Em 1803, após muitos problemas no exército, transferiu-se para o regimento estacionado na cidade de Nápoles, Itália, com a tarefa defender a cidade de Tarento, onde morreu. Embora a carreira militar tenha sobrepujado a carreira literária, o romance “Ligações Perigosas” é considerado uma revolução na história da literatura. O livro foi diversas vezes adaptado para o cinema e a televisão.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados