thomas-jefferson in1Thomas Jefferson

Nasceu no dia 13 de abril de 1743, na localidade de Shadwell, Virgínia, Estados Unidos. Morreu no dia 4 de julho de 1826, na localidade de Charlottesville, Virgínia.

Teve infância e juventude tranquilas ao lado dos pais — um engenheiro civil e uma senhora de uma rica família colonial. Aos 16 anos, entrou para o William & Mary College, em Williamsburg. Estudou Direito, Matemática e Ciências Naturais. Depois, começou a ver o Direito não como uma ocupação, mas como força poderosa, capaz de moldar as instituições e a cultura de um homem. Um instrumento para a reforma política. Após cinco anos de estágio num escritório, foi admitido na Ordem dos Advogados em 1767. Embora tenha praticado a profissão com sucesso durante sete anos, decidiu abandoná-la para se dedicar à Política e à Filosofia.

Em 1769, obteve uma cadeira parlamentar. Ocupou o cargo durante seis anos até, em 1775, ser escolhido como delegado de seu estado no Congresso Continental da Filadélfia. No campo filosófico, seu primeiro ensaio importante foi uma negativa da autoridade do parlamento inglês sobre as colônias e uma crítica à política seguida pelo rei. O sumário exerceu considerável influência no processo de emancipação americana, no momento em que as relações com a Inglaterra pioravam (1774-1775). Quando o segundo congresso continental optou pela independência em 1776, foi escolhido para presidir a comissão encarregada de preparar a declaração formal da decisão, que foi aprovada em 4 de julho. Lavrou-se, então, a primeira constituição do país.

Quando retornou à Virgínia, em outubro de 1776, revisou a constituição local que ele mesmo redigira, dando ênfase a alguns pontos: abolição do direito da primogenitura; garantia de liberdade religiosa e desligamento da igreja anglicana; estatização do ensino, incluindo escolas primárias e secundárias; e criação de uma biblioteca e de uma universidade. Obteve, ainda, a revisão do código penal do estado, abolindo a pena de morte. Esforçou-se para abolir a escravidão, mas só conseguiu uma lei que proibia a importação de novos escravos. Foi governador do estado de 1779 a 1781, quando se afastou da política por um ano. Retornando como membro do congresso, auxiliou Benjamin Franklin e John Adams na negociação detratados comerciais na Europa.

Em 1785, substituiu Franklin como embaixador na França. Em Paris, procurou se ligar ao meio filosófico, reafirmando sua posição liberal e humanista. Quando de seu retorno aos Estados Unidos, em 1789, foi nomeado secretário estado para o primeiro gabinete de George Washington. Como candidato do Partido Liberal (atual Democrata), elegeu-se, em 1801, presidente do país. Até certo ponto, seu governo foi conciliatório. Em 1803, adquiriu o território da Luisiana junto à França por 15 milhões de dólares. Essa transação foi muito importante para os Estados Unidos, pois quase duplicou o seu território. Foi também neste ano que decidiu promover a colonização da parte ocidental, organizando expedições que conduziriam à conquista do oeste.

Em 1804 foi reeleito presidente. Em 1809 poderia ter sido reeleito para um terceiro mandato, mas preferiu não aceitar a candidatura. Quando deixou a presidência, tinha 66 anos, quarenta deles dedicados à Política. Sua influência continuou sendo substancial, principalmente através dos partidários James Madison e James Monroe, que foram eleitos presidentes na sequência. Apesar de não exercer nenhum cargo político, conseguiu obter o ato oficial com o qual sempre sonhou: o estabelecimento da Universidade da Virgínia. Dedicou-se exclusivamente a ela nos dezoito anos restantes da sua vida. Ele próprio desenhou os edifícios e supervisionou a construção de todos os detalhes, além de reunir o corpo docente e planejar os currículos. Considerava a educação vital para a existência de um governo livre. Julgava o ensino público e a imprensa livre itens característicos de uma política democrática.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados