banner-topo

Bernard Malamud, o escritor judeu-americano foi um dos principais autores do século XX

b-malamud1Bernard Malamud

Nasceu no dia 26 de abril de 1914 e morreu no dia 18 de março de 1986, na cidade de Nova York (Brooklin e Manhattan, respectivamente), Estados Unidos.

Era filho de imigrantes judeus russos. Recebeu seu diploma de bacharel da City College of New York, em 1936. Em 1942, obteve o grau de mestre na Universidade de Columbia, escrevendo uma tese sobre Thomas Hardy. Seu primeiro trabalho foi no serviço público, passando, em seguida, a dar aulas de inglês. A partir de 1949, passou a instrutor de literatura na Universidade Estadual do Oregon. Nesse período, começou a dedicar três dias da semana para a composição das suas próprias obras. Seu primeiro romance publicado — “The Natural” — é de 1952. Seguiram-se “Os Choros” (livro de contos), de 1955, e o romance “O Assistente”, de 1958. A partir daí, emergiu como um grande autor de estilo universal. Ganhou o Prêmio Pulitzer de Ficção com “O Bode Expiatório” em 1967. Algumas das suas obras foram adaptadas para o cinema.

the-natural1Obras Publicadas
1950 — A Prisão (contos)
1952 — The Natural (romance)
1955 — Os Choros (contos)
1957 — O Assistente (romance)
1958 — The Magic Barrel (histórias)
1961 — Uma Nova Vida (romance)
1963 — A Jewbird (contos)
1966 — O Bode Espiatório (romance)
1969 — Fotos de Fidelman (romance)
1971 — Os Inquilinos (romance)
1974 — Chapéu de Rembrandt (histórias)
1979 — Vidas de Dubin (romance)
1982 — Graças a Deus (romance)

as-vidas-de-dubin1Playboy — Agosto de 1980
As Vidas de Dubin”, de Bernard Malamud, um romance original na obra do grande escritor judeu-americano. Dubin é um biógrafo. Ao escrever a vida de D. H. Lawrence, o controvertido e escandaloso (na época) autor de “O Amante de Lady Chatterley”, tem um tórrido e atribulado caso de amor com uma garota muito mais jovem. Como se não bastasse, problemas menos agradáveis surgem na sua relação com a mulher e com os filhos. O rapaz é um desertor do exército, que se exila na Suécia; a moça, uma universitária que se asila numa comunidade zen. Alguns trechos são arrastados, mas no geral é Malamud da melhor qualidade. O livro foi publicado no Brasil pela Editora Nova Fronteira.



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados