dora doralina1Dôra

26/12/2020 — Já está nas livrarias o romance “Dôra, Doralina” da escritora Rachel de Queiroz. A trama narra a história da Maria das Dores, viúva recente de um casamento de conveniência. A personagem sai da sombra da mãe e de uma vida de submissão para viver em Fortaleza. Na capital cearense, Dôra torna-se atriz e passa a viajar pelo Brasil como integrante de uma companhia de teatro mambembe. Em determinada viagem conhece o Comandante, homem que desperta seu amor mais profundo e com quem se muda para Rio de Janeiro, abandonando o teatro. O livro foi originalmente lançado em 1975. Recebeu o aplauso da crítica por tratar com muito apuro o tema da emancipação feminina. A Rachel de Queiroz, nascida em Fortaleza em 1910, tem sete romances publicados.

01Rachel
RACHEL DE QUEIROZ nasceu no dia 17 de novembro de 1910 na cidade de Fortaleza, Estado do Ceará. Morreu no dia quatro de novembro de 2003 na cidade do Rio de Janeiro. Em 1917, para fugir da seca que assolava o estado cearense, partiu com a família para o Rio de Janeiro. Logo depois mudou-se para a cidade de Belém, no Estado do Pará. Anos mais tarde retornou para a capital cearense. Em 1925 concluiu o curso normal. Como escritora, estreou escrevendo crônicas e poemas modernistas para o jornal O Ceará. Assinava os escritos usando o pseudônimo de Rita de Queluz. Em 1926 lançou em forma de folhetim o primeiro romance intitulado “História de Um Nome”.

Com vinte anos  em 1930 ficou nacionalmente conhecida ao publicar “O Quinze”. O romance mostra a luta do povo nordestino contra a seca e a miséria. Demonstrando preocupação com as questões sociais e habilidade na análise psicológica dos seus personagens, teve papel de destaque no desenvolvimento do romance nordestino. Já consagrada, voltou em 1939 a morar no Rio de Janeiro. Neste mesmo ano recebeu prêmios pelo romance “As Três Marias”. A partir de 1950, passou diversos anos sem escrever. Em 1975 publicou o romance “Dôra, Doralina” e, em 1977, elegeu-se para a Academia Brasileira de Letras. Teve duas obras adaptadas para a televisão. O romance “As Três Marias” virou novela em 1981, enquanto o “Memorial de Maria Moura” virou minissérie em 1994.

02Romances
1930  O Quinze
1932  João Miguel
1937  Caminho de Pedras
1939  As Três Marias
1950  O Galo de Ouro
1975  Dôra Doralina
1992  Memorial da Maria Moura


 

 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados