andres-bello f1Andrés Bello

Andrés de Jesús María y José Bello López nasceu no dia 29 de novembro de 1781, na cidade de Caracas, Venezuela. Morreu no dia 15 de outubro de 1865, na cidade de Santiago, Chile. Recebeu as bases da sua formação humana na sua cidade natal, onde viveu até os 29 anos. Em 1811, transferiu-se para Londres, em companhia do Simon Bolívar e do Luís Lópes Méndez, encarregados de uma missão diplomática junto à corte inglesa. Permaneceu por 19 anos na Inglaterra. Nesse período, realizou importantes estudos de filologia.

Passou a colaborar, ainda, com exilados liberais espanhóis e políticos americanos, escrevendo em jornais como o El Español e O Censor Americano, além de publicar as revistas Biblioteca Americana, em 1823, e O Repertório Americano, em 1826. Em 1829, foi chamado pelo governo chileno para ocupar a direção do jornal O Araucano, diário oficial do país, e a secretaria do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Fundou a Universidade do Chile em 1842, da qual foi o primeiro reitor. Também se tornou árbitro de questões políticas envolvendo, primeiro, os Estados Unidos e o Equador e, depois, o Peru e a Colômbia.

Sua ação cultural se estendeu a toda a América Espanhola. Entre as obras mais importantes que escreveu, figuram a “Gramática da Língua Castelhana”, de 1850; o “Projeto de Código Civil” e a “Cosmografia e Descrição do Universo Conforme os Últimos Descobrimentos”, ambas de 1848; e a “Filosofia do Entendimento”, de 1849. No campo literário, seus ensaios revelam um senso crítico e histórico de primeira ordem. Nomeado “príncipe dos poetas americanos” pelo Marcelino Menéndez y Pelayo, deixou várias obras para a posteridade, com destaque para “Poesias”, “Poema do Cid” e diversas traduções feitas em colaboração com a Enciclopédia A. Bourgeois.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados